You are here

Personalidades da esquerda defendem uma Assembleia Constituinte Europeia

"Respeitem o nosso não" - FrançaPersonalidades da esquerda europeia manifestaram, dois dias depois do encontro entre Merkel e Sarkozy, a sua preocupação pelo método que está a ser seguido para relançar as discussões sobre a Constituição Europeia e defendem a convocação de uma Assembleia Constituinte. A Europa "não tem necessidade de um novo acordo assinado nas costas dos povos" criticam os subscritores, entre os quais se destacam o senador socialista francês Jean-Luc Mélenchon, o porta-voz do Partido da Esquerda alemão Oskar Lafontaine, o professor italiano Riccardo Petrella, o porta-voz da campanha do ‘não' na Holanda Erik Wesselius e o eurodeputado português Miguel Portas.

Em Fevereiro passado foi constituída em Paris a Iniciativa por uma Assembleia Constituinte Europeia (ver site Pour la République Sociale).

No quadro desta iniciativa, personalidades da esquerda europeia elaboraram uma declaração onde salientam que "esta forma de agir opaca e antidemocrática foi claramente rejeitada pelos votos ‘não' nos referendos em França e na Holanda" e lembram que Sarkozy se opõe à realização de um novo referendo sobre um novo tratado para a União Europeia.

Para estas personalidades, o único método de ter o apoio dos cidadãos e "refundar democraticamente a construção europeia" é a convocação de uma Assembleia Constituinte Europeia. "A única escolha que garante a transparência, respeita a soberania popular, permite a reorientação das políticas europeias em benefício da maioria e restabelece a eficácia de uma União Europeia ameaçada pela impotência e a paralisia" afirmam.

A declaração é assinada por personalidades da esquerda da Alemanha, França, Espanha, Itália, Bélgica, Holanda, Portugal, Finlândia e Luxemburgo.

Termos relacionados Internacional