You are here

Paquistão: só a 1 de Janeiro se saberá quando são as eleições

Bilawal Bhutto com o pai em conferência de imprensa, foto da LusaA Comissão Eleitoral do Paquistão adiou para 1 de Janeiro uma decisão sobre o possível adiamento das eleições no país, marcadas para 8 de Janeiro. Um alto responsável do governo disse que as eleições serão adiadas quatro semanas, pelo menos.
O Partido do Povo, que elegeu para presidente o filho de Benazir Bhutto, Bilawal, indicado pelo pai Asif Ali Zardari que será vice-presidente, defende que as eleições não sejam adiadas e apelou ao ex-primeiro ministro Nawaz Sharif a que não as boicote.

A Comissão Eleitoral do Paquistão reuniu de emergência nesta Segunda-feira para tomar uma decisão sobre o possível adiamento da data das eleições. Um porta-voz da comissão informou, porém, que a comissão decidiu adiar para 1 de Janeiro a tomada de decisão.

Entretanto, o Partido do Povo elegeu Domingo como presidente do partido Bilawal Bhutto de 19 anos, filho da líder assassinada Benazir. Segundo um porta-voz do partido, a líder falecida tinha indicado para a substituir o marido Asif Ali Zardari, mas este indicou o filho, decidindo ocupar a vice-presidência do Partido do Povo.

O Partido do Povo decidiu também participar nas próximas eleições, defender que não sejam adiadas e apelar ao ex-primeiro ministro Nawaz Sharif a que não as boicote.

Bilawal justificou a decisão dizendo "A luta do partido pela democracia continuará com renovado vigor. Minha mãe sempre disse que a democracia é a melhor vingança".

O Partido do Povo contestou também a versão do governo paquistanês sobre o assassinato de Benazir, havendo membros do partido que sugerem que elementos do governo estiveram por trás do assassinato.

Termos relacionados Internacional