You are here

Máfia dos bingos: PS na mira da polícia

Alvo de setasA Polícia Federal Brasileira pediu a cooperação da Polícia Judiciária para averiguar o "eventual envolvimento de portugueses e alguns elementos ligados ao Partido Socialista" no caso da mafia dos bingos. O jornal Público revela que as suspeitas se baseiam em escutas telefónicas nas quais empresários brasileiros terão pedido favores a políticos do Partido Socialista com cargos executivos. Entretanto, Licínio Bastos, que foi o principal financiador da campanha do PS no círculo fora da Europa continua a monte, com uma ordem de prisão devido a crimes de tráfico de influências e corrupção.
 

A "máfia dos bingos" é um grupo de empresários, advogados e magistrados, desmantelado pela "operação furacão", e que foi acusado de comprar sentenças judiciais e decisões políticas para a expansão do negócio do jogo clandestino.

Um dos elementos chave deste grupo é Licínio Soares Bastos que financiou ostensivamente a campanha do Partido Socialista no círculo fora da Europa, e que acabou um ano depois nomeado para Cônsul de Cabo Frio, tendo sido exonerado apenas ontem. Juntamente com outro empresário português, Laurentino Santos, encontra-se neste momento fugido às autoridades

A Polícia Brasileira suspeita de ligações de outros elemntos em Portugal ligados ao Partido Socialista, no esquema da "máfia dos bingos". A própria Polícia Federal já esteve em Portugal a recolher elementos sobre as ligações entre empresários e políticos portugueses com o esta máfia, e pediu às autoridades portuguesas para bloquear contas bancárias pertencentes a off-shores registadas na ilha da Madeira, solicitação já cumprida

Numa das escutas telefónicas registadas pela PF, a 2 de Setembro de 2006, um advogado Brasileiro, tendo como intermediário outro elemento, tentam falar com um Presidente da Câmara da região de Braga valendo-se do facto de serem conhecidos de António Braga, secretário de Estado, para tentarem que uma obra fosse desembragada e para permitir a colocação de máquinas de jogo num hotel. Na mesma escuta é sugerida a intervenção de "Aníbal",  que "resolve isso na hora". A Polícia Federal suspeita de que os dois se referissem a Aníbal Araújo, candidato do PS ao círculo fora da Europa em 2005.

Contactado pelo Público, Vitalino Canas, o porta-voz do PS, referiu desconhecer esta investigação. "Se existe, sobre ela vigora o segredo de justiça. A confirmar-se, o PS aguarda serenamente o resultado desse processo", afirmou. A PJ remeteu para mais tarde esclarecimentos sobre este caso.

Termos relacionados Política