You are here

Londres congela relações com Teerão

portavioesO governo britânico suspendeu todos os contactos bilaterais com o Irão. O único contacto previsto a partir de agora será exclusivamente destinado a exigir a libertação dos 15 fuzileiros navais britânicos detidos por uma patrulha iraniana na semana passada. Londres apresentou o que considerou serem provas de que a patrulha detida estava a três quilómetros da fronteira do Irão, do lado do Iraque. O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Manouchehr Mottaki, disse à rede de TV CNN que Faye Turney, a única mulher entre os 15 marines britânicos, poderá ser libertada hoje ou amanhã.

O governo britânico apresentou fotografias de satélite para demonstrar que os marines estavam dentro das águas territoriais do Iraque. Numa conferência de imprensa, o ministro da Defesa britânico afirmou que a patrulha britânica foi vítima de uma "emboscada" da marinha iraniana, e que a detenção foi ilegal e injustificada.

Por seu lado, a embaixada do Irão em Londres insistiu que os militares britânicos foram capturados em águas iranianas, mas que confia que os dois países poderão resolver o problema usando a cooperação. Teerão afirma ter também provas de que a patrulha britânica estava 500 metros no interior das águas territoriais iranianas.

Estados Unidos e Grã-Bretanha estão a fazer exercícios navais no Golfo Pérsico, com uma frota que inclui dois porta-aviões. O aumento de tensão já teve repercussão nos mercados, particularmente no preço do petróleo, que subiu cinco dólares para 68 dólares, tendo depois caído para 64. O ouro também subiu.

Leia também:

Blair exige ao Irão libertação dos marines detidos

Irão diz que britânicos violaram as suas águas

Termos relacionados Internacional