You are here

Lisboa: Sá fernandes conversa com Roseta, Carmona avança

cmlisboaSegundo o Público, José Sá Fernandes encontra-se hoje com Helena Roseta para discutir a possibilidade da união das duas candidaturas num movimento de cidadãos conjunto, depois de PS e PCP já terem afastado qualquer hipótese de coligação pré-eleitoral. Entretanto, o semanário Sol e o Diário de Notícias revelam que Carmona Rodrigues vai ser candidato à Câmara de Lisboa como independente, estando já a recolher assinaturas para formalizar a candidatura. A decisão de Carmona terá sido tomada depois de várias reuniões com o seu núcleo duro, que integra os arguidos Fontão de Carvalho e Gabriela Seara, além de António Cunha Vaz e Remédio Pires.
 

José Sá Fernandes e Helena Roseta encontram-se hoje para discutir a união das duas candidaturas num movimento independente conjunto, relata o SOL e o Público.

A proposta de união das candidaturas partiu de Sá Fernandes e do Bloco de Esquerda, partido que neste caso prescindiria formalmente de apresentar um candidato às eleições para a capital, passando a apoiar um movimento de cidadãos.

Ontem, José Sá Fernandes subscreveu a candidatura independente de Helena Roseta, contribuindo com a sua assinatura para um total de 4000 assinaturas de que esta necessitará para poder ser candidata à Câmara. «Já tive oportunidade de lhe agradecer», disse Roseta. Sobre uma possível união das candidaturas, Roseta não clarificou: «é natural que volte a falar com Sá Fernandes».

Para Sá Fernandes seria desejável uma convergência de vontades para unir as duas candidaturas em torno de um projecto de alternativa para Lisboa. «Helena Roseta foi a primeira a dizer que se houvesse coligação à esquerda não avançaria com uma candidatura».

Segundo o DN, hoje às seis da tarde poderá surgir mais uma candidatura às eleições intercalares à Câmara Municipal de Lisboa: a de Carmona Rodrigues.

Um dos dados que estará a pesar na decisão de Carmona Rodrigues é o apoio que tem recebido de diversos sectores do PSD, incluindo presidentes de juntas de freguesia e membros dos seus executivos. Na reunião de terça-feira da Assembleia Municipal de Lisboa, 30 dos 33 presidentes de junta eleitos pelo PSD mostraram-se desagradados com a forma como a distrital e a direcção do partido geriu a queda da CML

Fontes próximas do autarca negam que tenham existido contactos com o CDS/PP ou o Partido da Terra, apesar de Carmona e Paulo Portas terem um amigo comum que terá tentado uma aproximação. Carmona Rodrigues não desejou nunca aproximações partidárias, visto que pretende fazer uma cruzada contra a partidarização da vida autárquica. A máquina de campanha estará toda montada e ontem mesmo o autarca reuniu o seu núcleo duro para decidir sobre a candidatura, sendo certo que a Cunha Vaz & Associados - que fez a campanha de Carmona em 2005 e a de Mário Soares nas presidenciais - já se disponibilizou para a comunicação política, revela o DN.

Veja as notícias anteriores:
 
Sá Fernandes apela a coligação pré-eleitoral em Lisboa

Coligação rejeitada por PS e PCP e vista como difícil por Roseta

Termos relacionados Política