You are here

Lisboa: Carmona sai da corrida, renovadores preferem Sá Fernandes

dia 1 de Julho, Lisboa vai a votosCarmona Rodrigues anunciou ontem que não será candidato independente à presidência da Câmara de Lisboa, responsabilizando o calendário apertado que agendou o acto eleitoral para dia 1 de Julho. As sondagens publicadas hoje colocavam o presidente cessante em segundo lugar, mas não foram suficientes para que Carmona e os restantes arguidos do caso Bragaparques avançassem para formar uma lista independente. Já a candidatura de Helena Roseta, depois de cancelar ontem o encontro com Sá Fernandes, inviabilizando dessa forma uma lista conjunta com o grupo de cidadãos "Lisboa é Gente", não conseguiu convencer os renovadores comunistas a aderirem ao seu projecto.

Em declarações à LUSA após a reunião dos dirigentes da Renovação Comunista, Paulo Fidalgo lamentou "não haver coligação e que não tenha havido uma unidade entre o movimento de Helena Roseta e a candidatura «Lisboa é gente»". O médico renovador comunista disse ter sido convidado para a candidatura de Roseta, e justificou a recusa, afirmando que "Sá Fernandes fez um trabalho muito importante e muito meritório pela cidade" "Estive com Sá Fernandes no anterior combate [nas autárquicas de 2005] e acho difícil desligar-me", concluíu Paulo Fidalgo, antes de sublinhar que os membros da Renovação Comunista têm liberdade para apoiar qualquer candidatura, não existindo uma indicação de voto deste movimento. «Mas os membros da RC que já tinham estado presentes na lista de Sá Fernandes, vão continuar», acrescentou.

 Na sondagem da Marktest publicada hoje pelo DN e TSF, ainda no cenário de candidatura de Carmona e sem o nome de Luís Nobre Guedes, que será hoje anunciado pelo CDS, António Costa liderava as intenções de voto com 25,2%. Seguiam-se Carmona (15,7%), Roseta (13,5%), Negrão (9,5%), Sá Fernandes (6,2%) e Ruben de Carvalho (5%).

Nem as sondagens auspiciosas terão convencido Carmona Rodrigues a candidatar-se às eleições de Julho, mas ele fez questão de deixar a porta aberta para uma candidatura em 2009. E deixou também uma certeza, a de que não apoiará Fernando Negrão, o candidato escolhido por Marques Mendes para a disputa da capital. O Diário de Notícias adianta ainda a possibilidade de Carmona estar a preparar um novo volte-face, candidatando-se nas listas do MPT e contornando dessa forma os constrangimentos de prazos para as listas de independentes. Caso não se confirme este cenário, os dirigentes do MPT deverão integrar a candidatura de Helena Roseta, com quem também têm mantido contactos, tendo inclusive apresentado uma queixa idêntica junto do Tribunal Constitucional quanto à data marcada para as eleições.

Termos relacionados Política