You are here

Lisboa: Câmara dá 400 mil euros para Rali, Sá Fernandes vota contra

Rali Lisboa-DakarDepois da crise em torno da obtenção de um empréstimo para pagar dívidas a fornecedores, a Câmara de Lisboa aprovou a atribuição de um subsídio de 400 mil euros à organização do Rali Lisboa-Dakar. Apenas José Sá Fernandes e os vereadores do Movimento Cidadãos por Lisboa votaram contra. A concelhia do Bloco de Lisboa, em comunicado, considera "um verdadeiro escândalo que se apoie uma empresa privada com fins lucrativos", sendo "incompreensível que o rigor não se aplique em todas as áreas".
 

A proposta de atribuição de 400 mil euros à João Lagos Sport, promotora do rali, no âmbito de um protocolo com a autarquia, foi aprovada com os votos contra dos vereadores do movimento Cidadãos por Lisboa e do vereador independente eleito pelo Bloco de Esquerda. Quanto à isenção de taxas municipais de ocupação do espaço público, apenas Sá Fernandes votou contra, sublinhando que o Rali é promovido por uma «entidade privada».

A concelhia de Lisboa, em comunicado, considera que, dada a difícil situação financeira que obrigou à contracção de um empréstimo de valores elevados, é um "verdadeiro escândalo que se apoie uma empresa privada (Sociedade João Lagos Sports, S.A.), com fins lucrativos, na realização de um evento de interesse no mínimo discutível para a cidade, e que, além do mais, promove uma cultura contrária a todas as recomendações das autoridades europeias e nacionais, sobre o problema da emissão de CO2 e do aquecimento global."

Termos relacionados Política