You are here

Líder dos cristãos maronitas

MINISTRO É ASSASSINADO NO LÍBANO
libanoatentadogemayellusaweO ministro da Indústria do Líbano, Pierre Gemayel, foi assassinado hoje nos arredores de Beirute. Homens armados atiraram o seu carro para cima do de Gemayel, saíram e metralharam-no.
Cristão maronita, Gemayel, 34 anos, era do partido das Falanges. Era filho do antigo presidente Amin Gemayel e sobrinho do presidente Bechir Gemayel, assassinado em 1982. Na sequência daquele atentado, os falangistas, com o apoio de Israel, perpetraram o famoso massacre no campo de refugiados palestinianos de Sabra e Chatilla.

Actualmente, Pierre Gemayel fazia parte da maioria parlamentar anti-síria. O líder desta maioria, Saad Hariri, filho do antigo primeiro-ministro Rafik Hariri, também morto num atentado, acusou a Síria de estar por trás deste crime: "Hoje, foi morto um dos mais fervorosos discípulos do Líbano democrático e livre. Pensamos que a mão da Síria está atrás de tudo isto", acusou, em entrevista à CNN.

Damasco negou frontalmente qualquer ligação com o atentado, que condenou. O governo sírio restabeleceu hoje mesmo relações diplomáticas com o Iraque, depois de 26 anos de ruptura. O ministro dos Negócios Estrangeiros sírio, Hoshyar Zebari, anunciou em Bagdad que vão-se realizar reuniões entre os dois países para discutir questões de segurança e para desenvolver relações comerciais.

Damasco também se mostrou disposto a abrir discussões com os Estados Unidos no sentido de ajudar à estabilização do Iraque, como tem sido sugerido pelo grupo de estudos sobre o Iraque, uma comissão bipartidária liderada pelo ex-secretário de Estado dos EUA James Baker.

O atentado ocorre no momento em que o Líbano vive uma grave crise política, com a demissão de seis ministros, dos quais cinco representantes xiitas do Hezbollah e do movimento Amal. O motivo foram as discussões sobre o direito de poder de bloqueio à minoria pró-síria.

Cronologia dos últimos atentados no Líbano

14 de Fevereiro de 2005: o ex-primeiro-ministro Rafik Hariri morre devido à explosão de uma bomba instalada no seu carro;

2 de Junho de 2005: o jornalista e historiador Samir Kassir, fundador do Movimento Democrático de Esquerda, é assassinado também pela explosão de uma bomba;

25 de Setembro de 2005: atentado falhado contra a jornalista de TV libanesa LBC May Chidiac, que perde uma perna e uma mão.

12 de Dezembro de 2005: morre o editor-chefe do jornal An-Nahar, Gebran Tueni, também devido à explosão de uma bomba no seu carro.

Termos relacionados Internacional