You are here

Justiça investiga torturas e abusos no Iraque e no Afeganistão

Justiça americana fala de novas notícias de torturas no IraqueO departamento de Justiça norte-americano recomendou a reabertura de casos relativos a torturas e abusos graves a prisioneiros suspeitos de terrorismo. Nesta segunda-feira é divulgado um relatório do inspector-geral da CIA em que se detalham abusos a prisioneiros no Iraque e no Afeganistão.

O conselho de ética do departamento de Justiça dos EUA recomendou ao fiscal general norte-americano, Eric Holder, a reabertura de uma dezena de casos de abusos a prisioneiros, maus tratos, torturas físicas e psicológicas e mortes de detidos. A notícia foi divulgada pelo jornal americano New York Times, que garante que se vai nomear um novo inspector para estes casos e se darão outros passos para levar os abusos a tribunal.

O presidente dos EUA, Barack Obama reafirmou que não pretende processar os responsáveis da Administração anterior, mas mudou a sua política contra o terrorismo: novas normas de tratamento a detidos, desmantelamento das prisões secretas da CIA e fecho de Guantánamo. O último passo neste sentido foi a comunicação à Cruz Vermelha das identidades e situações de presumíveis terroristas detidos em centros penitenciários secretos no Afeganistão e no Iraque.

O documento a que faz referência o jornal norte-americano descreve simulações de execuções em interrogatórios, interrogatórios forçados, ameaças com armas e outros tipos de tortura física e psicológica.

Termos relacionados Internacional