You are here

Julgamento de Madrid confirma que Aznar mentiu sobre a ETA

julgamentoatocha.jpgFoi hoje lida a sentença do julgamento sobre os atentados do 11 de Março, em Madrid, tendo absolvido 7 dos 28 acusados e condenado 3 deles a penas de 40 anos de cadeia. Ficou provada a ligação à rede Al-Qaeda e excluída, por unanimidade do júri, qualquer relação com a ETA. Dois dos acusados foram condenados a mais de 40 mil anos de prisão, ainda que o cúmulo jurídico previsto na lei do espanhol preveja que sejam cumpridos 40 anos de prisão efectiva. Além destes dois acusados (por 191 homicídios concretizados e mais de 1900 tentados), também o cidadão que vendeu ao grupo islamista os explosivos necessários para a explosão foi condenado a 40 anos de cadeia.

Além destes 3 acusados, outros 18 foram condenados a penas de prisão, tendo sido absolvidas 7 das 28 pessoas que enfrentaram o tribunal, incluindo "O Egípcio", tido ao longo do processo como um dos estrategas da operação, mas cujo envolvimento na acção terrorista não foi considerada provada pelo tribunal.

Particularmente relevante foi o esclarecimento categórico do tribunal em relação à inexistência de qualquer relação entre este atentado e a organização basca ETA, ao contrário do que tinha sido amplamente difundido pelo governo de Aznar logo após as explosões na estação de comboios de Atocha, em Madrid.

Termos relacionados Internacional