You are here

Israel quer acabar com investigações de ONG

O parlamento israelita vai debater uma lei que permite a dissolução de organizações envolvidas na investigação de crimes de guerra do seu exército.

ONG que ajudaram a descobrir os crimes de guerra em Gaza podem ser encerradas pelo estado israelita. Foto Rich Lewis/FlickrO parlamento israelita vai debater uma lei que permite a dissolução de organizações envolvidas na investigação de crimes de guerra do seu exército.


A lei surge na sequência do relatório Goldstone sobre os crimes de guerra na invasão de Gaza no fim de 2008. Este inquérito da ONU conseguiu reunir provas desses crimes graças ao esforço de organizações locais que trabalham em Israel.

Segundo o jornal inglês Guardian, o próprio primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu considerou o "efeito Goldstone" como uma das três principais ameaças à segurança que o país enfrenta. Algumas associações debaixo da mira desta lei são a B'Tselem, Gisha, Adalah, a Associação dos Direitos Civis de Israel e os Rabinos pelos Direitos Humanos.

A proposta de lei foi subscrita por deputados de vários partidos. Ronit Tirosh, do partido oposicionista Kadima, diz que ela "irá acabar com o alvoroço das ONG que tentam subverter o Estado com o pretexto dos direitos humanos".

Uma sondagem do jornal Ha'aretz diz que 58% dos judeus israelitas defendem que as organizações que divulgaram as condutas criminosas de Israel não devem continuar a poder trabalhar livremente. Mais de metade dos inquiridos acha que há "demasiada liberdade de expressão" em Israel.

Termos relacionados Internacional