You are here

Howard, o grande aliado de Bush, é derrotado na Austrália

Ao lado da mulher janette, John Howard reconhece a derrota. Foto da Lusa/EPA/DEAN LEWINSO primeiro-ministro australiano John Howard, um dos últimos aliados ferrenhos do presidente George W. Bush na guerra do Iraque, foi esmagadoramente derrotado pelo adversário trabalhista Kevin Rudd. Com 61% dos votos contados, a previsão é que os trabalhistas conquistem 81 deputados no parlamento de 150. As eleições correram tão mal, que Howard está a correr o risco de sequer ser eleito deputado.

Howard já reconheceu a derrota num telefonema ao adversário. Apesar de afirmar que entrega aos trabalhistas um país mais forte, o certo é que a derrota é humilhante para quem cumpriu um dos mandatos mais longos da história da Austrália - Howard esteve 11 anos no poder.

Duas questões de carácter global marcaram estas eleições: o Protocoloo de Quioto e o aquecimento global, por um lado, e a guerra do Iraque.

Rudd, um ex-diplomata de 50 anos que fala fluentemente chinês, prometeu que a sua primeira prioridade, se fosse eleito, seria assinar o Protocolo de Quioto sobre o controlo de emissão de gases com efeito estufa, coisa que Howard, à semelhança de Bush, sempre se recusou a fazer. Também prometeu retirar 550 soldados australianos com funções de combate do Iraque, deixando porém cerca de mil em funções principalmente de segurança. Howard pretendia manter todos no país pelo tempo que fosse necessário.

As questões de política interna que marcaram as eleições foram a nova legislação de trabalho do governo, muito criticada e que despertou forte oposição, e o aumento das taxas de juros, numa economia que atravessa uma grande fase de crescimento.

Termos relacionados Internacional