You are here

Greve nos Transportes Urbanos de Coimbra

Trabalhadores dos SMTUC estão em greve desde dia 13Os trabalhadores dos SMTUC estão em greve desde o passado Domingo e prosseguirão até ao próximo. A adesão tem sido da ordem dos 95%. Bloco de Coimbra toma posição.

Os trabalhadores dos Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) estão em greve desde o dia 13 e continuarão até dia 20 de Dezembro.

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) diz que se o conselho de administração dos SMTUC e a Câmara de Coimbra não mudarem de atitude a greve continuará até ao próximo Domingo.

O presidente da Câmara, Carlos Encarnação do PSD, em declarações à comunicação social, acusou os trabalhadores de estarem a fazer uma "greve indecente" e tem-se negado a dialogar com o sindicato.

Os trabalhadores reivindicam o pagamento do subsídio de turno em 14 meses, tal como é pago aos aposentados, formação profissional e melhores condições de saúde, higiene e segurança no trabalho.

Nesta Sexta feira irão comemorar o Natal à porta dos SMTUC. "Vamos fazer a festa de Natal aqui à porta em contraponto com a festa do Conselho de Administração e da empresa. Tendo em conta que estamos em luta, não vamos conviver com gente que não contribui em nada para o diálogo e para a resolução do problema", referiu à comunicação social Licínio Azedo, dirigente do STAL.

Depois de 20 de Dezembro e até final do ano não realizarão novas paralisações segundo Licínio Azedo, que diz que não percebe a atitude de Carlos Encarnação "quando não cumpriu com aquilo que reconheceu, numa reunião a 14 de Setembro, ser uma injustiça feita aos trabalhadores". O sindicalista diz ainda que os trabalhadores vão realizar um plenário no início de Janeiro para discutir novas formas de luta.

O Bloco de Esquerda de Coimbra tomou posição, nesta Quarta feira, em que salienta a importância "absolutamente fundamental" do serviço prestado pelos SMTUC, para a mobilidade, na defesa do ambiente e na sua missão social.

O Bloco de Coimbra, depois de lamentar "o extremar de posições no âmbito da greve (...) e, em particular, as declarações do Presidente da Câmara de Coimbra", declara que: "espera que por detrás deste extremar de posições não se encontre a eventual intenção de privatização dos SMTUC, a qual corresponderia a um prejuízo real para trabalhadores e utentes, e que recusaremos terminantemente".

Termos relacionados Sociedade