You are here

Greenpeace despe-se à frente do presidente israelita

Acção da Greenpeace. Clique para ampliarNuma conferência organizada pela Universidade de Telavive, vários activistas da Greenpeace despiram-se diante de Shimon Perez, em protesto contra as a proliferação de armas nucelares no Médio Oriente. Israel recusa-se a assinar o Tratado de Não Proliferação de armas nucleares e a France Press adianta que este país dispõe de pelo menos 200 ogivas daquele tipo.  

Os activistas contestam o formato tendencioso da conferência, a começar pelo título - "O desafio Nuclear no Médio Oriente" - e a acabar nos oradores, todos apologistas da tecnologia nuclear. Assim, primeiro exibiram cartazes com frases como "Limpar o Oriente Médio da tecnologia nuclear" e "Um novo Oriente Médio é um Oriente Médio sem armas nucleares", para em seguida passearem em roupa interior diante de Shimon Perez.

Depois da segurança ter expulso o grupo da Greenpeace, o presidente israelita ainda afirmou que "o ar condicionado devia estar desligado, pela saúde dos activistas" e que "este tipo de protesto devia ser organizado no Irão e não em Israel".

A France Press adianta que Israel dispõe de pelo menos 200 ogivas nucleares, além de mísseis de longo alcance e submarinos que podem disparar mísseis balísticos. Este país nega-se a assinar o Tratado de Não Proliferação (TNP) de armas nucelares e Peres é considerado o "pai" do programa nuclear israelita, que foi desenvolvido nos anos 50 com a cooperação da França.

Termos relacionados Internacional