You are here

G8: Polícia alemã recorre aos métodos da Stasi

g90 As autoridades alemãs estão a usar os métodos da antiga polícia política da RDA (Stasi) para controlar todos os que se vão manifestar contra a reunião dos G-8 em Heiligendamm, no início do próximo mês. O método consiste na recolha de amostras de odores de diversas pessoas que a polícia considera suspeitas para que os cães as possam apanhar caso haja violência no decurso das manifestações. Depois das polémicas rusgas policiais de há duas semanas a cerca de 40 sites anti-G8, ontem, em Rostock, várias pessoas foram presas por estarem a cantar a "Internacional".

A reunião dos oito países mais poderosos do mundo (G-8) realiza-se este ano entre 6 e 8 de Junho, na cidade de Heiligendamm, perto de Rosctock. Como tem sido habitual nos últimos anos, centenas de movimentos por uma globalização alternativa organizam diversas manifestações, em protesto conta a política económica, ambiental e social de quem detém o poder.

Este ano, as autoridades alemãs estão a montar um inédito sistema de segurança, que inclui uma barreira de 2,5 metros de altura, que formará um anel de 14 quilómetros em torno do local onde se realiza a cimeira, com entradas controladas por aparelhos de raios X. Além disso, ameaçam reprimir qualquer manifestação que se aproxime desta barreira e já recusaram autorização à realização de vários protestos que distem menos de 5km da vedação.

Mas a grande novidade é o recurso a meios de repressão da antiga polícia secreta da ex-RDA., que consiste na recolha de odores de possíveis suspeitos para serem identificados por cães no momento em que ocorram distúrbios.

Segundo o jornal inglês The Guardian, Andreas Christeleit, um porta-voz das autoridades alemãs, confirmou esta informação sem contudo adiantar pormenores: "Essa prática aconteceu com vários suspeitos" - declarou.

Convém lembrar que esta técnica era usada pela Stasi para perseguir dissidentes, motivando por isso os protestos dos activistas e de vários partidos políticos.

Petra Pau, deputada do Partido da Esquerda, afirmou que esta prática «constitui mais um passo para tornar um Estado de Direito num Estado Securitário", sublinhando que "um Estado que adopta os métodos da Stasi esvazia-se de toda a legitimidade"

Veja também a notícia anterior: Polícia intimida manifestantes anti-G8

Apelo Internacional de um activista anti-G8, na Alemanha, e que é também deputado do Partido da Esquerda, no Parlamento Europeu:

Queridos companheiros,

A repressão contra os manifestantes anti-G8 na Alemanha está a crescer. Agora, a polícia alemã prendeu pessoas em Rostock apenas porque estavam a cantar a "Internacional". Gostava de perdir-vos para virem participar nos protestos anti-G8 em Rostock para testemunharem o que se está a passar. A vossa presença será muito importante. Vamos manter-vos informados sobre a situação. Por favor enviem mensagens de protesto contra a repressão crescente sobre os manifestantes anti-G8 para as embaixadas alemãs dos vossos países e informem o vosso público sobre o que está a passar na Alemanha.

Tobias Pflüger

Termos relacionados Internacional