You are here

EUA anunciam novas sanções contra o Irão

Condoleezza RiceA Casa Branca anunciou um novo conjunto de sanções unilaterais contra o Irão, que constituem o maior conjunto de medidas punitivas contra Teerão desde a ocupação da embaixada americana por guardas revolucionários em 1979. As medidas incluem a declaração da Guarda Revolucionária como uma organização proliferadora de armas de destruição em massa e a Força Quds como organização de apoio do terrorismo.
As medidas foram anunciadas pela Secretária de Estado, Condoleezza Rice, e pelo Secretário do Tesouro, Henry M. Paulson Jr.. Entre elas está um apelo a outros países e empresas para que deixem de ter relações financeiras com os três maiores bancos iranianos: o Banco Melli, Banco Mellat e o Banco Saderat. Os dois primeiros por alegadamente ajudarem ao programa nuclear iraniano, e o Saderat por "financiar o terrorismo".Além disso, as sanções incluem também cinco comandantes da Guarda Revolucionária, assim como nove empresas e o Ministério iraniano de Defesa e Forças Armadas.

Condoleezza Rice disse que os EUA estão empenhados numa solução diplomática, mas que também querem "aumentar os custos do Irão", a menos que coopere. "As políticas do Irão constituem talvez o maior desafio aos interesses de segurança americanos no Médio Oriente, e possivelmente em todo o mundo, porque a combinação do terrorismo iraniano, a repressão iraniana em casa e a procura de obtenção de tecnologia militar nuclear - que podem levar a uma arma nuclear - são uma mistura muito perigosa."

O objectivo alegado das sanções é isolar financeiramente uma parte dos militares iranianos e qualquer um que fora do Irão tenha negócios com eles. A Guarda Revolucionária é o mais poderoso corpo militar do Irão, com 125 mil efectivos.

Termos relacionados Internacional