You are here

Eleições intercalares para a Câmara Municipal de Lisboa

Câmara Municipal de LisboaMarques Mendes reconheceu finalmente que "não há condições para gerir a Câmara Municipal de Lisboa" e defendeu a realização de eleições intercalares.
A notícia do presidente da Câmara vir a ser constituído arguido no processo Bragaparques acabou por se tornar decisiva para a decisão de Marques Mendes, que anunciou também a concordância de Carmona Rodrigues com a sua opção.
Sá Fernandes, que foi o primeiro vereador a apelar à realização de eleições intercalares, declarou que "mais vale tarde que nunca", sublinhando que espera que as eleições se realizem antes do Verão e "acabem com a situação caótica que a Câmara Municipal de Lisboa tem vivido".

Depois dos inúmeros escândalos no executivo municipal e da constituição como arguidos da vereadora do urbanismo, Gabriela Seara, e do vice-presidente, Fontão de Carvalho, Carmona Rodrigues será também constituído arguido no processo Bragaparques e essa notícia foi decisiva para a opção do PSD. Para trás ficou a hipótese do PSD vir a defender a substituição de Carmona pela vereadora Marina Ferreira.

Carmona Rodrigues entrou hoje às 10h nas instalações do DIAP para ser ouvido no âmbito do processo Bragaparques. Entretanto, anunciou que falará hoje à tarde (17h) na Câmara Municipal.

O Bloco de Esquerda, que foi o primeiro partido a apelar à realização de eleições antecipadas, tinha já responsabilizado o PSD por poder acrescentar uma crise democrática à crise financeira, política e de credibilidade do executivo municipal.

Notícias anteriores no esquerda.net:

Dossier Escândalos na Câmara Municipal de Lisboa

Audição de Carmona adiada a pedido do próprio

Mendes não fala, Carmona sai do país

Carmona arguido no caso Bragaparques

Termos relacionados Política