You are here

Crise no Líbano

MANIFESTANTES ACAMPAM NO CENTRO DE BEIRUTE
libanobeirutelusawebMilhares de manifestantes passaram a noite nas ruas do centro de Beirute e permanecem acampados em torno do Palácio do governo, exigindo a queda do governo de Fuad Siniora. Ontem, centenas de milhares acorreram ao apelo do Hezbollah e da Corrente Patriótica Livre, do general cristão Michel Aoun.
A manifestação decorreu de forma inteiramente pacífica. "Vamos ficar o tempo que for necessário, uma semana, duas, o que for suficiente até à queda do governo", disse à agência de notícias EFE o deputado do Hezbollah Nauar Zahli.

Na sexta-feira, diante dos manifestantes, Michel Aoun acusou Siniora de ter cometido muitos erros e acusou o governo de "ter tornado a corrupção um negócio diário". Segundo o diário libanês The Daily Starr, os manifestantes referiam-se a Siniora como o "sr. IVA", o "traidor" e o "chorão". "Lutámos pelo nosso país, não vamos agora deixar ninguém calar-nos", disse um manifestante citado pelo jornal.

Siniora não comentou a manifestação, mas, na quinta-feira, acusou a oposição de tentar derrubar o sistema democrático e garantiu que não iria permiti-lo. Para o primeiro-ministro, a única forma de fazer cair o governo é através do Parlamento. "Qualquer outra forma não tem legitimidade, é irrisória, viola a Constituição e constitui um golpe de Estado".

Termos relacionados Internacional