You are here

Crise na CML: Relatório sobre a Gebalis cria polémica

Sérgio LipariO vereador da Acção Social da CML, Sérgio Lipari (PSD), entregou a Carmona Rodrigues um relatório que revela alegadas irregularidades na Gestão da Gebalis, empresa que gere os bairros municipais de Lisboa. O relatório já terá sido enviado para o Tribunal de Contas e para a Inspecção-Geral de Finanças. Os partidos da oposição estranham a atitude de Lipari, que tutelou o pelouro da empresa  até Outubro de 2005, tendo elaborado o relatório sem ouvir o Presidente da Gebalis. Sá Fernandes anunciou novas revelações sobre este assunto em Conferência de imprensa marcada para hoje às 17h.

 

O Presidente da Gebalis, Francisco Ribeiro, veio entretanto negar qualquer «culpa» no processo e recusou demitir-se, acusando Sérgio Lipari de «má-fé» por não ter tido acesso ao relatório. O presidente da Gebalis estranhou ainda que as irregularidades apenas tenham acontecido durante a sua gestão e lembrou que Sérgio Lipari foi director-geral da empresa até Outubro de 2005. Francisco Ribeiro revelou ainda que cerca de 30 trabalhadores, todos eles militantes do PSD da secção de Benfica que é coordenada por Lipari, entraram na Gebalis na altura em que o autarca era o director-geral.

Maria José Nogueira Pinto, vereadora do CDS/PP afirma estar disponível para prestar todos os esclarecimentos sobre a situação da Gebalis e garante que «o relatório não pode conter irregularidades nenhumas», porque não cometeu quaisquer irregularidades enquanto tutelou a empresa municipal, a partir de Outubro de 2005.

Este assunto será hoje discutido em reunião de vereadores da Câmara municipal de Lisboa. Os vereadores da oposição estranham não terem tido acesso ao documento, que poderá constituir uma cortina de fumo para desviar as atenções das responsabilidades do executivo do PSD nas irregularidades de gestão da CML e da própria GEBALIS, que foi tutelada pelo próprio Sérgio Lipari até Outubro de 2005.

Termos relacionados Política