CIA, Vaticano e Governo Português tentaram manipular a Wikipedia

16 de August 2007 - 16:25
PARTILHAR

 Manipulação. Imagem retirada de provileu.blogspot.comA CIA, o Vaticano e o Governo Portugês são algumas das instituições que tentaram manipular dados da enciclopédia virtual Wikipedia. Esta decoberta foi possível graças a uma nova ferramenta de busca, o site Wikipedia Scanner, criado por um estudante de doutoramento da Califórnia, e que tem a capacidade de chegar à identidade das pessoas que tentaram alterar conteúdos da Wikipedia, através da localização do endereço IP dos computadores respectivos. O blogue "zero de conduta" já pôs mãos à obra e descobriu que o Governo Português alterou dados da biografia de José Sócrates relacionados com o seu currículo académico.
 

O estudante Virgil Griffith desenvolveu um programa informático que permite identificar os computadores onde são feitas as alterações aos artigos da Wikipedia, a enciclopédia online que funciona através das colaborações de editores voluntários. Dessa forma, Griffith apanhou grandes empresas como o Wal-Mart, o maior grupo de supermercados do mundo, a multinacional farmacêutica Astra Zeneca, a CIA e o Vaticano.



Por cá, o blogue "zero de conduta" descobriu que o Centro de Gestão da Rede Informárica do Governo (CEGER), órgão que funciona por "delegação do Primeiro Ministro", tentou alterar dados sobre o percurso académico de José Sócrates. Eis uma das partes apagada, (originalmente escrita em inglês):

"A Universidade Independente está actualmente (06-04-2007) sob investigação devido a alegadas irregularidades em divérsias matérias. O alegado grau académico do Primeiro Ministro Português, obtido nesta universidade, está sob uma enorme discussão pública e tempestade mediática. Em causa estão possíveis falsas declarações de José Sócrates acerca do seu grau académico. Sob enorme pressão, o Primeiro-Ministro prometeu clarificar a situação..."



Além disto,a partir do mesmo computador, foi apagada a média de curso de José Sócrates (12 valores) bem como a expressão "brevemente" na frase "frequentou brevemente o Instituto de Engenharia de Lisboa".



A alteração de alguns dados mereceu mesmo uma chamada de atenção da Wikipédia que enviou uma mensagem ao computador do CEGER pedindo para que não insistisse em actos de possível vandalismo.

A CIA foi uma das organizações apanhadas a vandalizar conteúdos da Wikipédia. Alguém desta agência de espionagem alterou a biografia do Presidente Iraniano, juntando a exclamação «Wahhhhh» aos planos políticos de Mahmud Ahmadineyad. Para além disso fez pequenas alterações às páginas de Oprah Winfrey e do seu chefe, Porter Gross.

Já o Vaticano decidiu remover parte da biografia do líder do Sinn Féin, nomeadamente a parte que dizia que as impressões digitais de Gerry Adamas tinham sido encontradas num carro utilizado num duplo assassinato em 1971. A secção intitulada "Aumentam as perguntas sobre o recente assasssinato" já não se pode consultar nas páginas da Wikipédia.

O estudante da Califórnia que criou este novo site detectou também alterações feitas pelo Partido Trabalhista Britânico, pelo Partido Democrata dos EUA, pela cadeia televisa conservadora Fox News e por diversas empresas. Entre estas está a Dow Chemical, que apagou uma passagem sobre o acidente de Bhopal, na Índia, em 1984, quando foi libertado um gás venenoso de uma fábrica da Union Carbide (agora propriedade da Dow); e a Diebold, companhia responsável pelo fornecimento de urnas eletrónicas usadas nas polémicas eleições americanas do ano 2000, que apagou as referências ao facto do lider desta empresa ser um "grande arrecadador de fundos" do presidente George W. Bush

Termos relacionados: Política