You are here

Chumbada a OPA da Sonae sobre a PT

Assembleia de Accionistas da PT - Foto da LusaA assembleia de accionistas chumbou a desblindagem dos estatutos da Portugal Telecom, matando dessa forma a OPA da Sonae sobre a PT. Dos votos expressos na assembleia-geral de accionistas, mais de 46% foi contra, cerca de 43% votou a favor e o resto absteve-se.
A desblindagem dos estatutos era uma condição indispensável para a continuidade da OPA. Henrique Granadeiro, presidente da PT, congratulou-se, dizendo que ao fim de um ano "a OPA morreu". A blindagem dos estatutos é uma alteração que limita os direitos de voto a uma determinada percentagem. No caso da PT o limite é de 10%, pelo que quem tenha uma percentagem superior só pode votar nesse limite. A desblindagem exigia a aprovação por 2/3 do capital representado.

Na assembleia-geral de accionistas da PT estiveram representados 67,5% do capital social da empresa. O Estado não chegou a votar, mas a CGD votou contra.

O representante da SONAE, o advogado Osório de Castro lamentou a rejeição da desblindagem e considerou que uma minoria impediu o mercado de se pronunciar.

As acções da PT, da Sonae, da Sonaecom e da Sonae SGPS foram suspensas devido à realização da assembleia de accionistas da PT. Quando foram suspensas as acções da PT Multimédia estavam em alta ligeira, enquanto a Sonae descia 1,86% e a Sonaecom 12,38%.

 Leia também: 

Opa sobre a PT: Bloco exige veto do Estado

Termos relacionados Sociedade