You are here

Carmona arguido no caso Bragaparques

Carmona RodriguesO presidente da Câmara de Lisboa vai ser ouvido na qualidade de arguido quando se dirigir ao Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) na próxima semana. O autarca é mais um dos implicados na investigação à permuta de terrenos do Parque Mayer pelos da Feira Popular, um negócio considerado por toda a oposição como ruinoso para a autarquia e fantástico para a Bragaparques, a empresa proprietária do Parque Mayer que viria ainda a comprar em hasta pública a restante área da Feira, após afastadas as propostas concorrentes. Carmona disse ontem que vai falar com Marques
Mendes, que desde sempre defendeu a saída dos autarcas-arguidos e que,
segundo a imprensa, prepara já a sucessão, negociando com o CDS a
entrega da presidência à vereadora Marina Ferreira.

Depois do director municipal Remédio Pires e
dos vereadores Fontão de Carvalho e Gabriela Seara terem sido
constituídos arguidos, a fragilidade política do executivo minoritário
aumenta agora com a inclusão do presidente neste processo.

 Na reunião de ontem do executivo camarário, Carmona Rodrigues escusou-se a responder às perguntas dos vereadores sobre se seria ou não arguido, situação que só deverá acontecer quando entrar do DIAP para prestar declarações. O Bloco de Esquerda manteve a exigência de eleições intercalares que afastem a fragilizada equipa de vereadores. Já na véspera, à margem da inauguração do túnel do Marquês e a propósito do ex-vice-presidente com mandato suspenso, o vereador José Sá Fernandes afirmou que «era muito bom para os lisboetas termos eleições e haver uma limpeza de pessoas e procedimentos» para que a autarquia recupere a credibilidade perdida.

A situação de ter a maior câmara do país sob suspeita, que se tornou ainda mais insustentável com as buscas nos gabinetes da presidência e nas residências de vereadores que acabaram arguidos no processo de favorecimento da Bragaparques, tem alimentado também a turbulência interna no PSD. Carmona foi uma escolha pessoal de Marques Mendes e a oposição ao líder do PSD, protagonizada por Luís Filipe Menezes, já veio ontem pedir a realização de eleições intercalares na capital. Mas há também quem defenda que Carmona deve continuar em funções mesmo depois de arguido, como é o caso de Pedro Feist, um dos vereadores com maior antiguidade nos meandros do aparelho camarário, desde o tempo de Abecassis.

Termos relacionados Política