You are here

Bloco questiona Ministério sobre Alta Tensão

O Ministério parece ignorar a contestação das populações às linhas de alta tensãoO Bloco de Esquerda exigiu ao Ministério do Ambiente esclarecimentos sobre o traçado em Leiria da linha de alta tensão entre Batalha e Lavos que vai passar junto a habitações e equipamentos sociais. O Bloco de Esquerda não compreende como é possível que a decisão sobre estes traçados não tenha tido em conta a existência do edificado existente ou de projectos de habitação e de infra-estruturas de interesse social.

Numa pergunta dirigida ao ministério, através da Assembleia da República, o Bloco refere estar actualmente em estudo a instalação de uma linha de muito alta tensão entre Batalha e Lavos que “irá passar numa área urbanizada das freguesias de Cortes e de Pousos”, no concelho de Leiria, na qual há “mais de uma dezena de habitações, onde vivem várias famílias com crianças, existindo casos onde as torres ficarão a menos de 35 metros das casas.

Segundo o Bloco, a linha “impedirá ainda a construção” em dois loteamentos em fase de aprovação, localizados “nas únicas áreas ainda urbanizáveis na freguesia de Cortes”.

O Bloco aproveita a ocasião para lembrar ao Governo “a mobilização contra a ampliação da subestação” eléctrica da REN - Redes Energéticas Nacionais no lugar de Celeiro, Batalha, e contra os traçados das linhas de muito alta tensão naquela zona pela respectiva associação de moradores.

“O Bloco de Esquerda não compreende como é possível que a decisão sobre estes traçados não tenha tido em conta a existência do edificado existente ou de projectos de habitação e de infra-estruturas de interesse social, levando agora à caricata, mas perigosa, situação de sobreposição com estas construções, com os consequentes riscos para a saúde pública, ambiente e valor patrimonial das habitações”, refere o documento do Bloco.

O Bloco quer saber se o ministério vai “rever as condições do licenciamento” da linha Batalha-Lavos e se pondera soluções alternativas.

Por outro lado, o partido pretende ser informado se o novo Governo vai mandatar a REN “para rever o traçado das linhas de muita alta tensão” no Celeiro, “reduzindo a dimensão da subestação instalada” e “desconcentrando a convergência” das várias linhas no local.

O Bloco pergunta ao ministério se a tutela vai “adoptar medidas efectivas para que o princípio da precaução seja aplicado” nos projectos de instalação de linhas eléctricas de muito alta tensão.

Este sábado, a partir das 21:30, um grupo de cidadãos da freguesia dos Pousos promove uma assembleia popular para sensibilizar a população sobre os efeitos negativos das linhas de muito alta tensão.

A iniciativa decorre na sede da Associação Recreativa Lugares Unidos em Azabucho, Pousos.

Termos relacionados Política