You are here

Bloco acusa: Governo quer despedimento na hora

socrates_grandNuma intervenção na Assembleia da República, o deputado do Bloco de Esquerda Luís Fazenda, acusou o Partido Socialista de "violar o seu contrato eleitoral", de "desprestigiar a democracia" e de "minar a credibilidade do governo". Isto tudo devido às conclusões do livro branco sobre legislação laboral apresentadas hoje em sede de concertação social pelo Ministro do Trabalho Vieira da Silva. O documento propõe a redução do subsídio e dos dias de férias, menores salários e despedimentos mais fáceis. «Quando o próprio Bagão Félix diz, perante estas propostas, que o PS é mais neoliberal que os neoliberais, é bom que o PS reflicta», rematou Fazenda.

Veja vídeo da intervenção de Luís Fazenda

Vídeo da pergunta da deputada do PS, Maria José Gamboa

Vídeo da resposta de Luís Fazenda

Veja também Governo quer reduzir férias e facilitar despedimentos

 

Luís Fazenda acusou o Governo de, na sua "onda neoliberal", pretender implementar o "despedimento na hora", confirmando com isso a "Constituição não inscrita da União Europeia que é o modelo da flexigurança". Luís Fazenda considerou igualmente "chocante" que se pretenda reduzir as pausas ao fim de cinco horas de trabalho, de uma hora para meia hora.

«Esqueçam tudo o que eu disse, esqueçam tudo o que eu escrevi» - foi desta forma que o deputado do BE retratou a atitude do Ministro do Trabalho, que chegou a criticar o código do trabalho de Bagão Félix por atentar contra os direitos dos trabalhadores. «O PS prometeu rever o código Bagão Félix com base nas propostas que o seu grupo parlamentar apresentou na Assembleia da República» lembrou Fazenda , para logo depois concluir: "Nada disto tem a ver com essas propostas. Trata-se de uma violação do vosso contrato eleitoral».

Dirigindo-se ainda à bancada do Partido Socialista, Fazenda lançou um repto: «A Bancada do PS vai aceitar tacita e passivamente tudo o que o Governo propõe?»

Na resposta, Maria José Gamboa, deputada do PS, referiu que «para nós o desemprego é uma imensa preocupação e a segurança e protecção dos trabalhadores também». Luís Fazenda lamentou que ninguém do Grupo Parlamentar do PS dissesse claramente «Nós somos contra a redução dos dias de férias, contra a redução de salários e contra a facilitação dos despedimentos».

Termos relacionados Política