You are here

Berardo fecha hotel e despede 100 trabalhadores

Joe Berardo despede 100 trabalhadores, apesar dos considerar O milionário português Joe Berardo anunciou a demolição do Hotel Savoy, na Madeira, para construir ali um novo projecto hoteleiro de 170 milhões de euros. A decisão implica o despedimento de 100 trabalhadores. O Bloco de Esquerda condena o oportunismo do empresário e a cumplicidade do governo regional.  

Joe Berardo anunciou a demolição do histórico Hotel Savoy para dar lugar a um novo empreendimento hoteleiro - aprovado pela autarquia do Funchal - que vai custar perto de 170 milhões de euros, implicando o despedimento de 100 trabalhadores. O secretário dos Recursos Humanos da Madeira já confirmou a entrada deste processo de despedimento colectivo nos serviços da direcção de Trabalho da região.

Berardo afirma que tentou fazer o melhor possível para todos os trabalhadores, que disse "considerar parte da família". Horácio Roque, detentor dos outros 50 por cento do capital da empresa, sublinhou que, o mundo dos negócios, por vezes, "obriga a decisões difíceis". Em comunicado, a empresa sustentou a decisão com as "alterações da conjuntura económica mundial", acrescentando que o "aumento da oferta e qualidade das unidades hoteleiras que têm vindo a surgir na Região provocaram um decréscimo acentuado e continuado ao nível da ocupação do Hotel Savoy".

Em conferência de imprensa, o dirigente do Bloco Roberto Almada considerou a decisão "injustificada" e condenou as declarações "desculpabilizantes" do presidente do Governo Regional. "Se isso acontecer, o Governo Regional e o secretário regional dos Recursos Humanos terão de ser responsabilizados pela situação aflitiva em que ficaram centenas de pessoas que dependiam daqueles cem postos de trabalho para sobreviver", afirmou Roberto Almada.

Joe Berardo e Horácio Roque 'também não escapam às críticas: "quem tem lucros deve ser proibido de despedir exactamente para impedir que estes empresários oportunistas, que enriquecem à custa do suor alheio e dos rendimentos dos outros, aproveitem o mínimo sinal de desaceleração dos seus ganhos para se livrarem de quem deu o melhor da sua vida para que o Hotel Savoy tivesse prestígio", acusa o dirigente do Bloco/Madeira.

Lê o comunicado do Bloco Madeira

Termos relacionados Sociedade