You are here

Barcelos

CORREIA DE CAMPOS É PERSONA NON GRATA
ccampos_smallA Assembleia Municipal de Barcelos decidiu recomendar à Câmara Municipal que, em nenhuma circunstância, convide o ministro Correia de Campos a participar em qualquer iniciativa de âmbito autárquico. A resolução aprovada considera o ministro da Saúde persona non grata do município barcelense. Apenas o Partido Socialista votou contra.

Apresentada pelo Bloco de Esquerda, a moção considera o encerramento da maternidade de Barcelos um “erro histórico”, motivado pela “vertigem liquidacionista do papel do Estado na causa pública”, e com interesses dúbios de centralização de serviços que viabilizem económica e financeira a construção de novas unidades hospitalares.
A hostilidade ao ministro da Saúde é justificada por este sempre ter revelado uma “postura autoritária e autista, ao ponto de nunca explicar à população, que com toda a legitimidade manifestou o seu repúdio, os objectivos subjacentes à sua decisão.”
Para a Assembleia Municipal de Barcelos, o ministro da Saúde “foi arrogante, provocatório e insinuoso em muitas das declarações que proferiu, tendo sempre como intenção denegrir a imagem dos barcelenses”. E, ao contrário do que havia afirmado, que o único serviço a encerrar da maternidade seria o bloco de partos, “confirma agora que outras valências, nomeadamente a obstetrícia e ginecologia, também irão encerrar.”

Termos relacionados Sociedade