You are here

Ban Ki-moon exige libertação imediata da líder da oposição birmanesa

Suu KyiO secretário-geral das Nações Unidas exigiu, esta terça-feira, a libertação imediata de Aung San Suu Kyi, que foi condenada a mais 18 meses de prisão domiciliária por ter dado abrigo a um cidadão norte-americano. Ban Ki-moon considerou a condenação uma «desilusão».

Em comunicado, Ban Ki-moon apelou à junta militar birmanesa para a libertação «imediata e incondicional» de Suu Ky, acrescentando que o gesto poderia ser encarado como «um actor fundamental no processo de diálogo e reconciliação» nacional.  

«O secretário-geral está profundamente decepcionado com o veredicto e lamenta muito esse gesto», acrescentou a mesma nota.
  
A líder da oposição birmanesa e Prémio Nobel da Paz foi considerada culpada por ter violado as condições da pena de prisão domiciliária que cumpria ao ter deixado entrar em sua casa um cidadão norte-americano.

Termos relacionados Internacional