You are here

Arrábida, Sócrates e os interesses

Pedreira do Zambujal Segundo denúncia
do representante das autarquias de Sesimbra, Setúbal e Palmela ao jornal Sol do
passado Sábado, em 2003 na proposta de plano de ordenamento do Parque Natural
da Arrábida não era possível ampliar a expansão das pedreiras por cotas (em
profundidade), mas em Conselho de Ministros de 2005 o texto foi alterado e passou
a ser possível. Com a expansão
por cotas das pedreiras do Vale de Mós, a Sécil pode continuar a extrair pedra
por mais 23 anos, até 2044, ainda segundo o Sol.
Francisco
Louçã, citando estes dados, acusou Sócrates de ser "porteiro dos grandes negócios" (notícia no esquerda.net ). O Ministério
do Ambiente nega e diz que aquela concessão não é feita por tempo, mas por volume
de extracção. Porém, se aumenta a massa mineral que se pode extrair, aumenta o
tempo de extracção e a Sécil vai poder continuar a extrair pedra por mais anos. Por quantos mais?
Clique na
imagem (ou no link) para ver vídeo sobre as pedreiras da Arrábida com declarações de Sócrates, quando era Ministro do
Ambiente
.

Termos relacionados Política