You are here

Antigos trabalhadores do Urânio voltam à rua

Ex-trabalhadores da ENU não desistem de lutar. Foto de Mário Mendes, no Portal de NisaAntigos trabalhadores da extinta Empresa Nacional de Urânio (ENU) concentram-se sábado de manhã junto à residência oficial do primeiro-ministro, por considerarem que José Sócrates demonstra insensibilidade perante os seus problemas. Os trabalhadores há muito que exigem benefícios e indemnizações aos familiares dos que morreram devido à exposição à radioactividade  

"Escrevemos-lhe uma carta a pedir que se pronunciasse sobre a nossa situação, mas ele não o fez, demonstrando insensibilidade para com os nossos problemas", lamentou o porta-voz da comissão de antigos trabalhadores da ENU, António Minhoto, em declarações à Agência Lusa.

No Sábado, saem dois autocarros da Urgeiriça, Canas de Senhorim (onde esteve sedeada a ENU), com antigos trabalhadores e familiares, que pretendem ficar concentrados junto à residência oficial de José Sócrates entre as 9h e as 12h.

"Vamos mostrar o nosso desagrado por ele nem sequer nos ter respondido e apelar ao povo para que nas eleições legislativas penalize este primeiro-ministro", referiu António Minhoto. Na verdade, o Partido Socialista tem sido responsável pelo chumbo de vários projectos-lei que vão ao encontro das suas pretensões. "Apelo aos portugueses que coloquem o PS em minoria na Assembleia da República", enfatiza Minhoto, na esperança de que só dessa forma seja possível resolver os problemas destes trabalhadores.

Os antigos trabalhadores lutam há vários anos para que mesmo aqueles que não tinham vínculo à ENU na data da sua dissolução sejam abrangidos por um decreto-lei que os equipare a trabalhadores de fundo de mina, dando benefícios na idade da reforma, e para que sejam pagas indemnizações aos familiares dos que morreram de doenças relacionadas com a exposição à radioactividade.

A Comissão de ex-trabalhadores da ENU calcula que já tenham falecido com doenças cancerígenas, relacionadas coma aexposição à radioactividade, mais de 115 trabalhadores da empresa.

Leia também a notícia anterior no esquerda.net:

Antigos trabalhadores da ENU voltam a manifestar-se no próximo Domingo

Termos relacionados Sociedade