You are here

Activista político chinês condenado a 11 anos

Liu XiaoboLiu Xiaobo, importante activista político chinês, foi condenado esta sexta a 11 anos de prisão, por subversão, depois de ter encabeçado uma petição que pedia amplas reformas políticas e o fim do domínio do Partido Comunista.

Xiaobo, escritor e ex-professor universitário, passou 18 meses na cadeia após a repressão do movimento pró-democracia da Praça da Paz Celestial (Tiannamen) de Pequim em Junho de 1989 e cumpriu três anos de sentença num "campo de reeducação pelo trabalho", de 1996 a 1999.

Foi detido novamente em Dezembro de 2008, como um dos autores da "Carta 08", que defendia a democratização da China. O julgamento a que compareceu na quarta-feira, acusado de "subversão contra o poder do Estado", durou apenas duas horas e meia.

"Tudo o que posso dizer-lhes agora é que são 11 anos", disse a mulher do acusado, Liu Xia. Diplomatas relataram que Xiaobo também perdeu os seus direitos políticos por mais dois anos.

A Amnistia Internacional condenou a pena aplicada a este homem de 53 anos, tendo dito que a liberdade de expressão continua a não existir na China.

A Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, manifestou preocupação com o veredicto e afirmou que a sentença representa um duro golpe à liberdade de expressão. "O veredicto marca uma nova e grave restrição à liberdade de expressão na China", declarou.

Segundo a mulher do activista, ele vai apelar da condenação. O recurso deve ser apresentado em 10 dias a partir de sábado, segundo um dos advogados de defesa, Ding Xikui.

A imprensa e os diplomatas estrangeiros não foram autorizados a acompanhar o processo nem a leitura do veredicto.

"É uma condenação muito, muito severa, que reflecte também um endurecimento político que observamos desde a preparação dos Jogos Olímpicos de 2008 em Pequim", disse à AFP Nicholas Bequelin, pesquisador da divisão Ásia da organização Human Rights Watch, baseada em Hong Kong.

"O Partido Comunista não podia deixar sem resposta o desafio da 'Carta 08'; é uma resposta muito forte. Liu Xiaobo é um bode expiatório, sacrificado para enviar uma mensagem", completou Bequelin.

A "Carta 08" foi inspirada na Carta 77 do fim dos anos 1970 de dissidentes da antiga Checoslováquia. Actualmente, tem mais de 10.000 adesões, segundo a rede China Human Rights Defenders.

Termos relacionados Internacional