You are here

África do Sul: Zuma destrona Mbeki

Jacob ZumaJacob Zuma foi eleito presidente do Congresso Nacional Africano, o partido no poder na África do Sul, derrotando o atual chefe de Estado, Thabo Mbeki, e tornando-se assim no principal candidato às eleições presidenciais de 2009. Apoiado pelo Partido Comunista e pelo Congresso de Sindicatos, Zuma prometeu combater o desemprego e as políticas neoliberais que marcaram os governos anteriores. Mas Zuma ainda terá que enfrentar a Justiça, recaindo sobre si várias acusações de corrupção.  

Quase 4.000 delegados do ANC votaram durante a 52º conferência nacional do partido. De acordo com os números divulgados pela comissão eleitoral, Zuma conseguiu 2.329 votos, enquanto o seu rival, o actual chefe de Estado, ficou com 1.505.

Zuma deverá liderar o partido pelos próximos cinco anos e é o principal candidato às eleições presidenciais de 2009 e às quais Mbeki, que sucedeu a Nélson Mandela, não se pode candidatar.

A luta pela liderança do ANC dividiu profundamente o atual partido do governo, que quase não tem oposição desde o final do "apartheid", em 1994. Zuma teve o apoio do Partido Comunista sul-africano e do Congresso de Sindicatos sul-africanos, comprometendo-se pelo combate ao desemprego, que atinge 40% da população, e pela erradicação da pobreza.

Este resultado constitui uma enorme humilhação para Mbeki, que desejava uma liderança tranquila nos seus dois últimos anos como chefe de Estado.

Jacob Zuma, de 65 anos, foi destituído por Mbeki do cargo de vice-presidente em 2005, quando um seu assessor financeiro foi preso por fraude. Zuma foi acusado e posteriormente absolvido de acusações de violação de uma amiga da família e também de peculato. Actualmente ainda pode ser indiciado por corrupção.

Termos relacionados Internacional