You are here

Add new comment

Olá,
Lamentavelmente, o título do artigo "Temos uma visão bastante incompleta do que está a acontecer em Cabo Delgado" é verdadeiro em relação ao próprio artigo, pois a informação que contém é muito incompleta e limitada.
Considero não só este artigo, mas, em geral, o posicionamento do BE em relação a questões internacionais e, particularmente, no que diz respeito a Moçambique, bastante insuficiente. Especialmente à luz do facto de o Governo Português estar a propor um apoio militar para a solução do conflito em Cabo Delgado. Trabalhei durante mais de 30 anos em e para Moçambique na Cooperação Internacional e continuo a acompanhar regularmente a situação em Moçambique, procurando chamar a atenção para a complexidade da situação.
Esperaria de um partido e movimento de esquerda como o BE que se colocasse do lado do povo de Cabo Delgado e não fosse atrás da versão adoptada pelo governo moçambicano ou pelos círculos conservadores em Portugal, que atribuem o conflito apenas e exclusivamente a uma intervenção de insurgentes islamistas. Publiquei vários artigos sobre este tema no jornal Público, em que argumentei contra a intervenção militar unilateral de Portugal e contra uma atitude acrítica em relação ao governo da FRELIMO, cuja elite, segundo vários especialistas, é, em última análise, responsável pela escalada do conflito em Cabo Delgado. Neste contexto, esperaria também encontrar na EsquerdaNet uma informação mais diferenciada e substancial do que aquela que é dada por outros meios de comunicação social.
A meu ver, esta posição acrítica em relação ao Governo moçambicano é contraditória face aos princípios do BE, já que o Governo de Maputo está a fazer exactamente o oposto do que o BE defende:
”Políticas socialistas – ideias e formas de governar que distribuem a riqueza por todos e em que o Estado dá as mesmas oportunidades a todas as pessoas”
“Estado Social – forma de organizar a política e a economia em que é o Estado que garante o bem-estar social, os serviços públicos e a proteção dos cidadãos e cidadãs.”
“Democracia – forma de governo em que o povo escolhe livremente quem o representa.
Assim, é o povo que decide.”

Tudo isto não tem vindo a ser praticado pelo Governo moçambicano. Espero que o BE possa dar aos seus leitores a oportunidade de serem informados mais aprofundadamente e não terem de se limitar a uma informação superficial e acrítica que, na minha opinião, não está à altura dos valores que o BE defende.