You are here

Add new comment

Felicito o OE 2017 (a parte que já li), nomeadamente os temas apresentados neste artigo e vos sou profundamente grata que responda à pergunta que faço ao Governo, ao BE ao PCP e ao PAN:
Onde está a coerência das políticas de governação se continuam a assumir o compromisso, ilegítimo, para 2017, com o Programa de Assistência Económica e Financeira, no âmbito da Estrutura da Dívida Directa do Estado, no valor de 68.983 milhões de euros ( 27,8%) que corresponde para FEEF - Facilidade Europeia de Estabilização Financeira o valor de 27,328 milhões de euros (11%), para MEEF - Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira o valor 24.300 milhões de euros (9,8%) e para FMI - Fundo Monetário Internacional o valor de 17.344 milhões de euros (7%)?
Considerando que tanto o FEEF como MEE foram criados, ilegitimamente, pelo FMI apresenta-se como uma capa de fundo de assistência financeira aos Estados-membros da Zona Euro, porque na verdade é dirigido para as instituições financeiras privadas e para o mercado de especulação financeira.
O MEE actua na ilegitimidade porque em qualquer dos casos de assistência financeira às entidades públicas o Estado-membro em questão tem que aceitar condições políticas e macroeconómicas, os ditos «memorandos» ou «pacotes de austeridade».
O MEE actua na ilegitimidade porque os núcleos administrativos e executivos, bem como o pessoal ao serviço do MEE, são inimputáveis porque tomam decisões políticas de fundo que irão afectar gravemente a vida das populações e a integridade dos órgãos soberanos nacionais, porque existe uma enorme promiscuidade entre os responsáveis e funcionários do MEE e os interesses financeiros privados, bem como situam-se acima da lei e dos tribunais e beneficiam de um estatuto fiscal especial, decidido por eles próprios.
FEEF foi accionado para a Irlanda, para Portugal e para a Grécia e desde 1 de Julho de 2013, o FEEF não intervém em qualquer novo programa de assistência financeira, mas continuará a gerir e a reembolsar a dívida existente.
O programa final de assistência do FEEF à Grécia terminou em 30 de Junho de 2015.