You are here

Add new comment

Para mim um terrorista é um criminoso como outro qualquer, e um criminoso não passa disso mesmo, um criminoso, terrorista, que mata por motivos de defender uma causa, indignação, revolta, radicalismo religioso ou político, anti-social, vingança, ou simplesmente pelo prazer de matar. Os grupos terroristas que se formaram, principalmente no mundo muçulmano, tornaram-se mais radicais e radicalmente mais perigosos e determinados a levar os seus objectivos até às últimas consequências, inclusive a morte deles próprios, pelo método suicida, depois que o ocidente começou a mexer com eles, os povos daqueles países, que tanto interessa aos ocidentais gananciosos e avidos pelo ouro negro. Por isso, se costuma dizer: Quem brinca com o fogo, acaba por se queimar. Ou, quem com ferros mata, com ferros morre. Digamos que, criaram o monstro, e agora, parece que nem com todas as mais poderosas potencias militares do mundo o conseguem eliminar. E porquê? Porque não se pode eliminar um monstro que não é totalmente visível, ele é oculto, mas está em todo o lado, em todos os cantos do mundo e ao nosso lado, e nem nos apercebemos. Chamem-lhe o que quiserem, mas a verdade é que, em tantos anos de guerras e de mortes causadas por um lado ou pelo outro, não parece que vá haver qualquer tipo de milagre que nos salve. Porque afinal, o monstro está em cada um de nós. E os culpados! Claro, os governantes do mundo, dominantes de tudo e de todos, com ordem para matar e sempre impunes. É muito bom matar os outros, mas não é permitido que nos matem! Isto é política mesmo! A sério!...