You are here

Add new comment

MM
Sei da existência, mas nunca li "O Império".
Tenho contudo um pequeno livro do mesmo autor, falecido em 2007, "Os cínicos não servem para este ofício", para mim sem grande qualidade literária, mas apesar disso interessante. Neste é defendida a tese de que é importante conhecer directamente as realidades sobre que se escreve, sempre que possível, em vez de se ficar limitado à informação dos comunicados oficiais, das conferências de imprensa dos senhores do poder, muitas vezes com dados manipulados e manipuladores. Anos atrás comprei uma mão cheia de exemplares do livro, para enviar a muitos cínicos deste país. Ainda me restam sete exemplares.
Esteve por exemplo em 1975 em Angola, no ano da independência deste país, que vivia uma agressiva guerra civil. Viveu também num bairro de lata em Lagos, Nigéria, integrando-se com os restantes moradores, de modo a percepcionar as suas fracas condições de vida e os problemas do seu quotidiano.
Consta que também o Rei Hussein da Jordânia se vestia como o mais comum dos cidadãos, disfarçando-se, e ia para o meio do seu povo, apanhava os transportes, ia aos mercados, falava com as pessoas para se aperceber dos seus problemas e aspirações. Não confiava totalmente nos seus assessores, adjuntos, consultores, membros do governo, que só lhe diziam o que lhe agradava, e não a verdade nua e crua.
Cumprimentos,
PF