You are here

Add new comment

felizmente para todos nós continuam a existir pensadores preocupados com esta europa que se adivinha , a europa dos mercados e dos negócios e não a europa dos trabalhadores. Até a palavra trabalhadores começa a ser subversiva, já não se ouva falar em trabalhadores mas em colaboradores e agora em fantasmas. O trabalhador para a alemanha e para os mercados é o inimigo e há que abate-los, nós aqui do sul ganhamos essa dignidade a de nos considerarmos trabalhadores e de termos cada vez mais essa consciencia de classe, por isso a alemanha quer o fim desta europa a europa dos trabalhadores, o problema senhor habermas é muito mais simples do que o que parece resume-se a isto pagar dignamente a quem trabalha e acabar com esta europa dos mercados ou seja a europa dos parasitas passar de uma europa parasitária para uma europa solidária. NUMA FRASE « O SEU A SEU DONO« Sr habermas o problema não existe porque um problema é uma não solução e a Europa tem futuro e solução - acabar com os parasitas e pagar a quem trabalha- simples não? assim haverá paz democracia e futuro para todos, o contrário é a guerra, o desespero e a destruição. A alemanha já foi responsável por duas guerras na europa, será que quer uma terceira? será que Alemanha e América são duas economias de guerra? a américa tem fomentado guerras em todo o mundo e a alemanha na europa, se calhar o mundo só teria a ganhar se se juntasse todo contra estas duas potências talvez a paz no mundo se tornasse uma realidade para sempre sem estes parasitas que vivem melhor que todos e a custa da desgraça de muitos paises e de milhões de pessoas. Esta é uma evidência que não é dito com todas as letras nem assumido por todos os pensadores do mundo ocidental. temos que por o dedo na ferida de uma vez por todas. A alemanha continua nazi e a america uns cowboys com a pistola a cintura não mudaram nem nunca vão mudar. Alimentam-se da não vida de muitos e do desespero de outros muitos milhoes.Passar para uma nova era a do respeito por todos os povos e nações e por aqueles que nos permitem a vida, os que trabalham, os que já trabalharam, os mais velhos, e os que querem trabalhar, os jovens, mas para isso é preciso que a palavra trabalhador passe a fazer parte do lexico e que estes não sejam apenas fantasmas sem rosto e sem vida.