You are here

Add new comment

Do que me foi dado a entender, dado que também li o "Depoimento" de Marcelo Caetano, é que a protecção deste a Champalimaud é inexistente e até hostil dado o monopólio da Siderurgia Nacional e que Marcelo Caetano correctamente descreve como de muito ardilosa a actuação de Champalimaud para assim o manter, apesar da acção contrária de Caetano, usando até de ironia ao verificar que Champalimaud e os seus advogados, entre os quais Proença de Carvalho, argumentaram contra o Governo por, no entender destes, Caetano estar a prejudicar a livre iniciativa privada, e ironizando este que passados poucos meses, Champalimaud seria vítima dos mesmos que o estariam a defender naquele momento, mormente Proença de Carvalho.

Não sei que Depoimento leu mas o de Marcelo Caetano não foi e honra lhe deve ser dada pois este também queria acabar com os monopólios das "famílias portuguesas" porém não era seu intuito não as substituir por Nada, como foi o caso do PREC, mas sim criar-lhes concorrência.