You are here

Biblioteca

Onde encontrarei as palavras para expressar o horror que então me invadiu? Eu estava deitado ao pé da forca de Los Hermanos. Os cadáveres dos dois irmãos De Zoto não estavam enforcados, e sim deitados ao meu lado.

– À simples vista – disse o major, remexendo no bolso – é apenas uma pequena mão comum, seca e mumificada.

Tirou qualquer coisa do bolso e exibiu-a. A senhora White recuou, com uma careta, mas o filho, pegando no objecto, examinou-o com curiosidade.

Ontem, entre a multidão do bulevar, percebi que alguém me tocava no braço. Adivinhei logo. Era aquele ser misterioso que eu sempre desejara conhecer.

– Diz-me, gentil menina: gostarás de mim se eu fizer uma visita aos teus pais?

Havendo proferido tais palavras, Julião Mastakovitch quis beijar a pequena mais uma vez; mas o menino, vendo-a prestes a romper no choro, puxou-a pela mão.

Uma vez tinha eu voltado pela ante-manhã de uma festa louca. Dormia a sono solto, prostrado pela fadiga, esgotado da orgia desenfreada. Senti uma mão fria passar-me de leve nas faces, acordei. Era ela!

O verdadeiro medo é como uma reminiscência dos fantásticos terrores primitivos.

Publicamos esta semana o conto original “Barba Azul”, um rico e assustador aristocrata, muito feio, com a sua horrível barba azul. Casado já três vezes, ninguém sabia o que tinha acontecido às esposas.

Um homem rico perdeu um saco com mil talentos, sobre os quais havia uma serpente de ouro. Um pobre que passava achou-o.

Neste e-book conta-se a história de um cientista que desvendava crimes através de um jogo de associação de palavras. Mas a experiência nem sempre tinha sucesso.

A adivinha previra: ele ia matar um homem. “Se acontecer, avise-me. Esteja o senhor onde estiver, escreva-me ou telegrafe-me. A sua ficha é nº 20.003. Poucas palavras. Basta isto: 20.003 matou.”

Pages

É, no mínimo, o que qualquer pessoa com preocupações ambientais diz depois de conhecer o local onde se realiza o gigantesco festival: a margem da Lagoa Azul, nas Sete Cidades, zona classificada como paisagem protegida e sítio RAMSAR.

Se há algo que nós sabemos é que o Pride é sobre libertação. O nosso orgulho não foi conquistado por empresas, não foi conquistado para que países que constantemente violam a lei internacional nos utilizem para o seu branqueamento e não foi conquistado de modo individual.

Pela primeira vez na História do país, a Colômbia elege um presidente de Esquerda, Gustavo Petro. E o sinal pode ser farol: "Estamos a escrever História neste momento, uma História nova para a Colômbia, para a América Latina e para o Mundo".

As Marchas LGBTI+ são um momento de celebração da forma como se ama e como se é, mas também um momento de luta pela igualdade e inclusão, em combate à intolerância e à discriminação.

O crime indignou além fronteiras porque Dom Phillips e Bruno Pereira são símbolo de duas realidades indivisíveis: a esperança e coragem de quem levanta os braços, num mundo que nos faz pensar que talvez não estejamos assim tão longe da queda do céu.

A condenação inequívoca e consequente da agressão militar à Ucrânia inscreve-se no mesmo compromisso com a paz que nos leva a combater o branqueamento, alargamento e submissão nacional e europeia à NATO, mesmo em circunstâncias muito mais difíceis. Por José Gusmão.

É urgente reconstruir um movimento global de paz que se oponha a todas as alianças militares e aos contínuos aumentos maciços nos orçamentos de defesa. Por Gilbert Achcar.

A luta pela Paz é inseparável da luta pelo desarmamento e pelo desmantelamento de alianças militares agressivas. Sabemos que isso significa fazer recuar o imperialismo, ou seja, o poder de um ou mais países, poder militar, económico e político que domina terceiros países. Por Luís Fazenda.

Nesta mesa-redonda com três conhecidos académicos da tradição marxista, Étienne Balibar, Silvia Federici e Michael Löwy, Marcello Musto questiona as posições da esquerda face à invasão da Ucrânia, o papel da NATO e as perspetivas de paz.

A agenda da NATO para 2030 é estender o seu “alcance global”. A prioridade é o Indo-Pacífico, que agora faz formalmente parte da agenda. O alvo principal é a China, enquanto o alvo secundário é a Rússia, que a NATO acredita estar em apuros, tratando-a como tal. Por Anuradha Chenoy.