You are here

Biblioteca

Silencioso quando nasceu, silencioso na vida, silencioso quando morreu, mais silencioso ainda foi o seu enterro. Mas no outro mundo foi diferente. Ali a morte de Bontsha foi uma sensação. O som da trombeta messiânica ecoou pelos sete céus, anunciando: Bontsha, o Silencioso, morreu!

...Em consequência dos factos anunciados acima, o signatário pede humildemente autorização ao chefe de Estado para passar unicamente sobre o passeio do lado direito da Grand-Rue.

"Quando pela primeira vez o fantasma ficou na luz de perigo", prosseguiu, pondo o cabelo preto atrás da cabeça, e movendo as mãos de um lado a outro das têmporas, febrilmente tenso, "por que não me contou onde aconteceria o acidente, se fosse mesmo acontecer? Talvez isso pudesse ter evitado a catástrofe"

– Quer dizer que eu roubei as nozes que nem eram minhas? Então não é meu o que cai na minha propriedade, em cima das minhas batatas? Quer dizer que eu sou um ladrão?

– Se queria fazer um brinde, porque não brindou à liberdade constitucional, aos exércitos do Danúbio ou à liberdade de imprensa, ou algum brinde semelhante?

– Mas, meu senhor. Num mês aqui eu não poderia ter aprendido isso tudo.

– Mestre Janos, prenda este homem!

Considerou Beauregard que, se a afeição dela só dependia de tal condição, não convinha desobedecer-lhe. Por isso limitou-se a dizer:

– Como últimas palavras que hei de vos dirigir, declaro que nunca mais falarei sem que mo ordeneis.

– Ó, fiéis! Vós sabeis sobre o que é que eu vos vou falar?

– Não, não sabemos – responderam eles, em coro.

– Já que não o sabem, não poderei dizer-vos nada. Gente ignorante, é isso que todos são.

Que linda moça! Que brilho nos seus olhos! Mas Muirland estava impressionado com o estranho clarão que emanava desses mesmos olhares. Aproximou-se. Coisa estranha! A sua mulher, pelo menos foi o que pensou, não tinha pálpebras.

Todos aqueles príncipes do Inferno estavam de acordo em que era necessário descobrir a verdade. Decidiram mandar um deles ao mundo, para ali pessoalmente a conhecerem, sob a forma humana.

"Amigo", disse ele obstinadamente, "estou decidido. Não dou um passo adiante nessa perversão."

Pages

É, no mínimo, o que qualquer pessoa com preocupações ambientais diz depois de conhecer o local onde se realiza o gigantesco festival: a margem da Lagoa Azul, nas Sete Cidades, zona classificada como paisagem protegida e sítio RAMSAR.

Se há algo que nós sabemos é que o Pride é sobre libertação. O nosso orgulho não foi conquistado por empresas, não foi conquistado para que países que constantemente violam a lei internacional nos utilizem para o seu branqueamento e não foi conquistado de modo individual.

Pela primeira vez na História do país, a Colômbia elege um presidente de Esquerda, Gustavo Petro. E o sinal pode ser farol: "Estamos a escrever História neste momento, uma História nova para a Colômbia, para a América Latina e para o Mundo".

As Marchas LGBTI+ são um momento de celebração da forma como se ama e como se é, mas também um momento de luta pela igualdade e inclusão, em combate à intolerância e à discriminação.

O crime indignou além fronteiras porque Dom Phillips e Bruno Pereira são símbolo de duas realidades indivisíveis: a esperança e coragem de quem levanta os braços, num mundo que nos faz pensar que talvez não estejamos assim tão longe da queda do céu.

A condenação inequívoca e consequente da agressão militar à Ucrânia inscreve-se no mesmo compromisso com a paz que nos leva a combater o branqueamento, alargamento e submissão nacional e europeia à NATO, mesmo em circunstâncias muito mais difíceis. Por José Gusmão.

É urgente reconstruir um movimento global de paz que se oponha a todas as alianças militares e aos contínuos aumentos maciços nos orçamentos de defesa. Por Gilbert Achcar.

A luta pela Paz é inseparável da luta pelo desarmamento e pelo desmantelamento de alianças militares agressivas. Sabemos que isso significa fazer recuar o imperialismo, ou seja, o poder de um ou mais países, poder militar, económico e político que domina terceiros países. Por Luís Fazenda.

Nesta mesa-redonda com três conhecidos académicos da tradição marxista, Étienne Balibar, Silvia Federici e Michael Löwy, Marcello Musto questiona as posições da esquerda face à invasão da Ucrânia, o papel da NATO e as perspetivas de paz.

A agenda da NATO para 2030 é estender o seu “alcance global”. A prioridade é o Indo-Pacífico, que agora faz formalmente parte da agenda. O alvo principal é a China, enquanto o alvo secundário é a Rússia, que a NATO acredita estar em apuros, tratando-a como tal. Por Anuradha Chenoy.