You are here

Biblioteca

O seu aspecto infundia terror às crianças e repulsão aos adultos; não tanto pela sua altura e extraordinária magreza, mas porque a desgraçada tinha um defeito horrível: haviam-lhe extraído o olho esquerdo; a pálpebra descera mirrada, deixando, contudo, junto ao lacrimal, uma fístula continuamente porejante. 

Agitou-se no banco, envolveu-se melhor no dominó, que a noite ia-se pondo fria, e resolveu esperar com resignação. Passou, porém, uma hora, duas, e ela sem aparecer... A inquietação mordeu-lhe novamente a alma... Porque não viria? Onde estaria àquelas horas da noite?...

Levantei-me rapidamente da borda da cama, e, no mesmo instante, o capitão pôs-se também em pé, dando um grito de surpresa. Tinha-me voltado para apanhar a lanterna e examiná-la, quando lhe ouvi a exclamação e em seguida gritar por socorro.

– Pelo sangue de Cristo, sim, mimosa – responde o carmelita, atirando a sra. Rodin ao leito – sim, alma pura, fiz de seu marido um padre, e, enquanto o farsante celebra um mistério divino, apressemo-nos a levar a cabo um profano...

– Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa muito boa.

Responderam-lhe:

– Sempre queremos ver isso.

No cerne do alvoroço alarmado, os socorristas encontraram Joel num sono plácido, exalando como um corpo vivo há muito sem gel de banho exala. Há quanto tempo o vosso amigo está assim? Há um dia e meio, pelo menos... Conto inédito

Eu presenciei o espanta-diabo do princípio ao fim, graças a uma feliz sequência de circunstâncias, e quero descrever tudo para os verdadeiros conhecedores e para os amadores do sério e do elevado, de acordo com o gosto nacional.

Para aqueles que estudam a grande arte de viver na cama, devo de forma enfática incluir uma palavra de cautela: se ficar na cama até tarde, faça isso sem nenhuma justificativa.

Que horas podiam ser? Parecia que eu caminhava havia um tempo infinito, pois as minhas pernas amoleciam debaixo de mim, o meu peito arfava, e eu sofria terrivelmente de fome.

Uma modesta proposta para prevenir que, na Irlanda, as crianças dos pobres sejam um fardo para os pais ou para o país, e para as tornar benéficas para a República.

Pages

No momento da maior crise sanitária e social que a cidade já enfrentou a direita concentra-se em criar um caso sobre arranjos florais. É sinal de desnorte e quem vive em Lisboa percebe quem está preocupado com as suas vidas e quem quer criar casos. porque não tem nada para propor.

Despoluir o Nabão é possível. Haja vontade política de quem governa, trabalho técnico competente e capacidade de candidatura a financiamentos europeus.

O melhor e o pior de nós vêm à superfície no combate à pandemia. A dedicação sem limites dos profissionais de saúde contrasta com a mesquinhez de uns quantos chico-espertos que passam à frente na fila da vacinação.

A construção de alianças e redes entre mulheres e organizações de jovens e ativistas que defendem a igualdade de género e o abandono da mutilação genital feminina dão-nos esperança de que esta e outras formas de violência de género serão combatidas com determinação e serão eliminadas.

O Governo autorizou a venda de uma concessão a favor de uma sociedade veículo que ainda nem existia. Este esquema serviu para a EDP fugir ao pagamento do imposto de selo sobre a venda das concessões, no valor de 110 milhões.

Terrenos junto à Ponte da Arrábida no Porto

Aconteceu no Porto. Mas podia ocorrer em qualquer outro ponto do país. Os dois ingredientes do caso Selminho estão presentes em todo o território nacional. Artigo de José Castro.

Ameaçado pela justiça com a perda de mandato por causa do “caso Selminho”, Rui Moreira promete recandidatar-se após dois mandatos também marcados pela atitude prepotente face à oposição e o desprezo pela participação cidadã. Dossier organizado por Luís Branco.

Arruada de campanha em 2017. Em primeiro plano, da esquerda para a direita: Filipe Araújo (Vereador do Ambiente e Vice Presidente da Câmara), Miguel Pereira Leite (Presidente da Assembleia), Rui Moreira, Cândido Correia (candidato à Junta de Campanhã) e Fernando Paulo (vereador Habitação, Coesão Social e Educação). Atrás de Rui Moreira está Nuno Santos, então diretor de campanha e mais tarde chefe de gabinete, do qual saiu em julho de 2020.

Apesar de não ter conquistado a maioria dos deputados municipais em 2017, Rui Moreira conseguiu alcançá-la ao cooptar a deputada do PAN e um deputado do PSD. Em seguida converteu a Assembleia Municipal do Porto numa caixa de ressonância da Câmara Municipal, negligenciando a importância daquele órgão e do seu pluralismo para a saúde da democracia local. Artigo de Susana Constante Pereira.

Rui Moreira.

Rui Moreira é um lídimo representante da burguesia comercial e liberal da Foz, imagem que cultiva como se fosse um gentleman de boa cepa, mas que facilmente esbarra com a realidade. Artigo de João Teixeira Lopes.

Escritórios da Telles de Abreu no Porto.

A Câmara Municipal do Porto pagou pelo menos 525 mil euros à sociedade de advogados Telles de Abreu, onde é sócio o líder da bancada municipal e vários dirigentes do Movimento de Rui Moreira. O mesmo escritório representou esse Movimento numa queixa à CNE contra o Bloco de Esquerda.