You are here

Zimbabwe declara o "estado de catástrofe” devido à falta de chuva

As autoridades do Zimbabwe declaram o “estado de catástrofe” na maior parte das zonas rurais devido à seca severa que atinge o país.
A seca é consequência do El Niño.

Saviour Kasukuwere, ministro das Obras Públicas do país afirmou que o número de pessoas a necessitar de ajuda alimentar aumentou para 2,4 milhões, ou seja, 26 por cento da população.

Os níveis de precipitação no país diminuiram em cerca de 75 por cento o que já provocou a destruição de colheitas de milho, bem como a morte de milhares de cabeças de gado.

“Em certas zonas do país, os agricultores usam a palha dos telhados das suas casas para alimentar o gado”, disse à cadeia de televisão britânica BBC, Jan Vosen, diretor do programa da ONG Oxfam.

Devastação provocada pelo El Niño

A situação de seca que o país atravessa deve-se em grande parte ao fenómeno El Niño- o processo de aquecimento e arrefecimento de diferentes zonas do Pacífico que perturba o curso das tempestades e é causador simultaneamente de abundância e escassez de chuva em diferentes partes do planeta- não sendo por isso um problema exlclusivo do Zimbabwe.

Refira-se aliás que o Programa Alimentar Mundial (PAM) estima que 14 milhões de pessoas passam fome no sul do continente africano, devido a secas.

Refira-se que o Programa Alimentar Mundial (PAM) estima que 14 milhões de pessoas passam fome no sul do continente africano, devido a secas.

Por essa razão, a África do Sul, que é o maior produtor alimentar da região, está igualmente a atravessar a mais violenta seca dos últimos 50 anos, havendo ainda problemas com a falta de água na Namíbia, Zâmbia e no Botswana.

No caso do Zimbabwe há ainda outro problema que está relacionado com as consequências da recessão económica que afetou o país entre 1999 e 2008 e que levou a uma contração da economia em 50 por cento. O país está, desta forma, debilitado por um fraco crescimento económico o que agrava ainda mais as condições de vida da sua população.

A declaração de “estado de catástrofe” permite que os doadores internacionais consigam arranjar fundos de uma forma mais rápida e assim fornecer ajuda alimentar ao país que vai aumentar as suas importações de milho até cerca de 700 mil toneladas com o intuito de evitar a fome este ano.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Ambiente
(...)