You are here

Worten retira das suas lojas produtos de colonatos israelitas

Num comunicado divulgado este domingo, dia Internacional de solidariedade com o povo palestiniano, o Comité de Solidariedade com a Palestina comemora "uma das mais recentes vitórias da campanha internacional de Boicote-Desinvestimento-Sanções (BDS) em Portugal".
Foto de Grupo Ação Palestina.

“Só podemos felicitar-nos por esta vitória e felicitar a Worten por ter sido sensível aos argumentos da BDS e por não ter querido tornar-se cúmplice da ocupação da Palestina ao comercializar produtos israelitas fabricados em colonatos”, lê-se no documento.

O Comité de Solidariedade com a Palestina lembra que, em setembro de 2014, “iniciou uma campanha contra a venda da SodaStream em Portugal, enviando cartas às duas empresas que comercializavam esse produto, a Auchan e a Worten”.

Na missiva, as duas empresas foram alertadas “para o facto de o principal ponto de produção da SodaStream estar situado junto ao colonato Ma'ale Adomim, na Cisjordânia ocupada e de os terrenos para a sua construção terem sido obtidos através da expulsão de várias famílias beduínas”.

“Referíamos que uma segunda fábrica já tinha sido construída no deserto do Negev, de onde Israel planeava expulsar mais 70 mil beduínos”, acrescenta o Comité, que chamou a atenção da Worten e da Auchan “para a recente aprovação de normas pela União Europeia, incluindo o governo de Portugal, que condenam e desaconselham o financiamento de entidades israelitas e de atividades que incidam sobre os territórios palestinianos da Cisjordânia ou de Jerusalém Oriental”.

Na carta foram ainda dados os exemplos da Staples norueguesa e da Ecostream britânica "que tinham deixado de vender produtos SodaStream na sequência da campanha BDS de que tinham sido alvo".

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)