You are here

Vida e obra de Mário Cesariny evocadas em Lisboa

O artista plástico e poeta Mário Cesariny vai ser evocado a partir desta quarta-feira, pelos dez anos da morte, com uma exposição abrangente sobre a sua obra, que é inaugurada às 18:00, na Casa da Liberdade - Mário Cesariny, em Lisboa.

De acordo com a organização, da responsabilidade da Perve Galeria, a exposição "Evocando Mário Cesariny" assinala também o 3.º aniversário da Casa da Liberdade - Mário Cesariny, criada em memória e para divulgação da vida e obra desta figura tutelar do Surrealismo português.

Na mostra, vão estar desenhos, pinturas, poemas-objeto, colagens, esculturas, fotografias inéditas e correspondência que cobrem um intervalo temporal que vai dos anos de 1940 aos anos 2000.

Mário Cesariny (1923-2006) foi poeta e artista plástico, e é considerado um dos principais representantes do surrealismo português, tendo recolhido e arquivado muito material sobre as atividades deste movimento em Portugal.

Na exposição vai ser apresentado um núcleo do início do seu percurso, nos anos 1940, que inclui a obra "Maldoror", uma peça emblemática realizada em Paris, em 1947, na altura em que Cesariny visitou André Breton, líder do movimento surrealista.

Pela influência de Breton, Cesariny participa na criação, no mesmo ano, do Grupo Surrealista de Lisboa, a que se seguiria, em 1949, o anti-grupo "Os Surrealistas", que Cesariny fundou com Cruzeiro Seixas e companheiros, após uma cisão no anterior grupo.

De acordo com a Perve Galeria, a inauguração contará com a presença de Cruzeiro Seixas, atualmente com 95 anos, artista que também pertenceu ao movimento surrealista português, e nela será realizado um programa performativo e poéticos.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Cultura
(...)