You are here

Viagens pagas pela GALP: Bloco critica autarcas de Sines e Santiago do Cacém

Presidentes de Câmara de Sines (PS) e de Santiago do Cacém (CDU) criticados pelo Bloco de Esquerda por terem aceitado convite da Galp para assistir em França a jogo de Portugal.
Bloquistas exigem "total transparência e sentido republicano do exercício do poder público".

Em comunicado, o Bloco de Esquerda Santiago do Cacém e Sines alega que "Álvaro Beijinha, da CDU, e Nuno Mascarenhas, do PS, presidentes das Câmaras de Santiago do Cacém e Sines também não tiveram pejo em aceitar o convite da Galp para assistirem em Lyon a um jogo do europeu de futebol".

 Tendo em conta que a empresa "lhes pagou a viagem", os bloquistas consideram a situação uma "reprovável promiscuidade entre o poder local e esta empresa gigantesca".

A Galp tem instalada em Sines a maior refinaria do país, que emprega uma grande percentagem de trabalhadores residentes no concelho vizinho de Santiago do Cacém.

"O Bloco de Esquerda, que criticou energicamente tanto a participação dos secretários de Estado dos Assuntos Fiscais e da Indústria, do Governo do PS, como os deputados do PSD, entre os quais o seu próprio líder parlamentar, não pode deixar de reiterar essa crítica e a condenação de tal atitude por parte dos presidentes destas duas câmaras municipais vizinhas", lê-se no comunicado.

As estruturas locais do Bloco exigem agora da parte do autarca de Sines, Nuno Mascarenhas, e de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, "uma explicação cabal aos seus munícipes".

"Exigimos total transparência e sentido republicano do exercício do poder público, que se quer democrático, transparente e independente do poder económico", asseveram ainda.

A convite da Galp viajaram para Lyon, em França, para assistir a um jogo da seleção nacional no campeonato europeu de futebol, os secretários de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, da Indústria, João Vasconcelos, e da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, uma situação que tem gerado polémica desde a semana passada, quando veio a público.

A agência Lusa tentou, sem sucesso, contactar o presidente da Câmara de Sines. Já o autarca de Santiago do Cacém, atualmente de férias, decidiu, por enquanto, "não prestar declarações" sobre o assunto.

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)