You are here

Várias centenas assinam contra censura no Porto

Depois do caso de censura da folha de sala de um espetáculo no Teatro Municipal do Porto, outras denúncias surgiram. Uma declaração “contra o(s) poder(es) e as formas de opressão” já recolheu mais de 765 assinaturas. A primeira subscritora é Regina Guimarães, o texto está na página do facebook de Sara Barros Leitão.
Teatro Municipal do Porto
Teatro Municipal do Porto

A “declaração” está disponível e pode ser subscrita com um comentário na página do facebook da atriz Sara Barros Leitão.

O texto tem como primeira subscritora a escritora, dramaturga e poeta Regina Guimarães, já foi subscrito por várias centenas de pessoas (656 pessoas às 10h 05 de 27 de fevereiro de 2020) e será enviado ao Presidente da República, ao primeiro-ministro e à ministra da Cultura.

A Declaração começa pelo poema “Pranto pelo Dia de Hoje” de Sophia de Mello Breyner Andresen, relembra a “Declaração dos Direitos do Homem” e a “defesa contra o(s) poder(es) e as formas de opressão” e afirma que o/as abaixo-assinad@s não darão, nem pelo silêncio nem pela indiferença, cobertura a: - “actos de censura”, - “atitudes de assédio laboral e/ou chantagem”, - “modos de contratação que incluam exigências de obediência cega e sigilo”, - “posturas e procedimentos (...) de controlo autoritário dos criadores e dos processos de criação”, - “alterações notórias da civilidade no trato e da cordialidade devida aos criadores”.

A Declaração é uma tomada de posição já subscrita por várias centenas de pessoas, “sobre a censura da folha de sala escrita por Regina Guimarães e sobre a proibição da venda, no Teatro Municipal do Porto, do livro de Tiago Correia com o mesmo texto como prefácio”. (A cidade a cultura: vamos ao debate?, artigo de José Soeiro)

Tiago Correia e Sara Barros Leitão (que declarou ter tido um projeto cancelado) denunciaram práticas de abuso e de interferência em projetos artísticos já contratados pelo Teatro Municipal, com a proibição por parte da direção do Rivoli/Campo Alegre da utilização de determinadas palavras.

Entretanto, Regina Guimarães demitiu-se do Conselho Municipal de Cultura do Porto (leia notícia no esquerda.net) e a Lusa refere que na passada segunda-feira se demitiram deste Conselho Carla Miranda e Vânia Rodrigues.

O CENA/STE (sindicato dos trabalhadores de espetáculos, do audiovisual e dos músicos) organizou também, no fim de semana passado, uma reunião com mais de 50 agentes culturais, de onde saíram outros testemunhos de interferência na autonomia artística, assédio moral e abuso laboral, tendo já solicitado uma reunião ao Presidente da Câmara do Porto.

Entre as pessoas que já subscreveram a “Declaração” estão o deputado José Soeiro, encenadores Tiago Correia e Jorge Silva Melo (Artistas Unidos), o antigo diretor do Teatro Nacional São João Nuno Carinhas, Joana Craveiro (teatro do Vestido) , José Leitão (Art’Imagem) , Ricardo Alves (Palmilha Dentada) , cineasta Teresa Villaverde, atores António Capelo , António Durães e Mário Moutinho, atrizes Maria João Luís, Fernanda Lapa , Elvira Leite , o coletivo Comissão de Profissionais das Artes.

Notícia atualizada no dia 27 de fevereiro de 2020 às 10h 22, às 11h30 e às 13h 46

Termos relacionados Cultura
(...)