You are here

valter hugo mãe assinala 20 anos de carreira literária

O 20º aniversário da vida literária de valter hugo mãe será assinalado com a reedição do romance “a máquina de fazer espanhóis” e também com a publicação de um novo livro que será lançado ainda este ano.
valter hugo mãe tem uma obra cuja qualidade é reconhecida a nível internacional. Foto do site Outras Palavras

A reedição do livro - que valeu ao escritor o Grande Prémio PT de Literatura em Língua Portuguesa, em 2012 – terá um prefácio do músico brasileiro Caetano Veloso que a este propósito escreveu: "Impacta-me que, exatamente quando da minha entrada na velhice, me chegue às mãos o trabalho de um jovem em que a contemplação do inexorável avanço da idade é a motivação de um exercício exuberante de escrita, onde a força da memória vocabular e emocional (força que define um verdadeiro escritor) surge luminosamente".

Sobre este livro, Caetano Veloso sublinha que “a fortuna crítica e o sucesso abrangente deste romance, no Brasil, exibem feições comoventes", e acrescenta: "Momento profundo das relações afetivas entre Brasil e Portugal, “a máquina de fazer espanhóis”, um livro tão exclusivamente português, com seu linguajar coloquial lusitano e suas referências às intimidades da vivência da história política de Portugal, faz o leitor brasileiro mergulhar na dimensão portuguesa de sua vida, reencontrar origens de tantas das suas fraquezas em face de um grande sonho – e de tantos enternecimentos em face de sinceras modéstias”.

Caetano Veloso revela ainda que “este livro faz o leitor brasileiro enriquecer suas perguntas quanto à capacidade de grandeza, à realidade de suas responsabilidades".

"Liberdade gráfica"

Conhecido por escrever sempre com letra pequena, o escritor confessou em entrevista ao Jornal de Letras em 2010 que tal facto se fica a dever a um ato de " liberdade gráfica".

valter hugo mãe disse assim tratar-se de uma  "limpeza formal do texto",  considerando que "as maiúsculas são uma sinalética que só atrapalha a leitura".

"Simplificando, sintáctica e graficamente, chegamos a uma escrita mais próxima do modo como falamos", justificou, acrescentando que "as pessoas não falam com maiúsculas".

A 19ª edição do livro de valter hugo mãe- que se encontra esgotado desde 2014 – será da responsabilidade da Porto Editora e completa a reedição da 'tetralogia das minúsculas’ deste escritor, todas com prefácios de autores internacionais -, como “o nosso reino”, prefaciado por Ferreira Gullar, “o remorso de baltazar serapião”, que recupera o prefácio do Nobel português de Literatura José Saramago, e “o apocalipse dos trabalhadores”, pelo poeta sírio Adonis, além de “a máquina de fazer espanhóis”, com Caetano Veloso.

Em relação à capa desta reedição uma fonte da editora disse à Lusa que “tal como as restantes novas edições da ‘tetralogia das minúsculas’, composta por ‘o nosso reino’, 'o remorso de baltazar serapião’, ‘o apocalipse dos trabalhadores’ e ‘a máquina de fazer espanhóis’, é da autoria da equipa de design da Porto Editora, mas integra ilustrações da artista plástica islandesa Ingibjörg Birgisdóttir”.

A reedição dos restantes livros será também prefaciada por autores internacionais, designadamente, Alberto Manguel, que prefacia “O filho de mil homens”, Mia Couto, “Contos de cães e maus lobos”, além de outros que serão anunciados oportunamente.

Refira-se ainda que no próximo dia 14 de setembro, numa conferência de imprensa no Porto, o escritor dará a conhecer o seu novo romance e também outras iniciativas que integram as comemorações do 20º aniversário da sua carreira.

Termos relacionados Cultura
(...)