You are here

UMAR assinala 40 anos com lançamento de agenda feminista

A associação feminista comemora esta segunda-feira quatro décadas de existência e estará em destaque na próxima edição do programa "Mais Esquerda".
Cortejo da UMAR na manifestação do 25 de abril de 2016. Foto Paulete Matos.

O 40º aniversário da UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta é comemorado esta segunda-feira às 18h com um convívio no Centro de Cultura e Intervenção Feminista, em Alcântara. A associação feminista irá apresentar um vídeo com algun momentos da história da organização e fará o lançamento da Agenda Feminista 2017.

Fundada a 12 de setembro de 1976, por iniciativa da UDP, a UMAR marcou presença nos principais momentos da luta pelos direitos das mulheres e depressa evoluiu para a defesa do pensamento feminista em Portugal.  “A UMAR não nasceu como associação feminista, o que nos ajudou a evoluir para assumirmos o feminismo foi a participação na CNAC – Comissão Nacional pelo Aborto e Contracepção”, declarou Manuela Tavares, fundadora da UMAR, ao jornal Público.

Manuela Tavares sublinha a importância da autonomia da organização em relação ao partido e a diversidade interna da organização que juntava militantes partidárias “com mulheres de cariz feminista desde o início”. O reconhecimento político e social da UMAR passou pelo desenvolvimento de projetos de apoio às mulheres desempregadas ou pela atribuição por parte do Estado da gestão da primeira casa-abrigo para vítimas de violência doméstica. Nos últimos anos, a UMAR desenvolveu ainda o projeto do Observatório de Mulheres Assassinadas, que todos os anos traz ao conhecimento público a realidade do femicídio em Portugal.

“De uma pequena associação de agitação e propaganda, como passámos a uma associação reconhecida política e socialmente? É que demos o passo de que não bastava denunciar, era preciso agir sobre as situações”, explica Manuela Tavares ao Público. No próximo domingo, o programa "Mais Esquerda" dará destaque ao 40º aniversário da UMAR com uma reportagem a não perder no esquerda.net.

Termos relacionados Sociedade
(...)