You are here

Turquia: David Harvey e Judith Butler entre subscritores de carta pelos direitos humanos e democracia

A carta é assinada por 77 académicos e eurodeputados, é dirigida a Federica Mogherini, Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, e a Thorbjørn Jagland, Secretário Geral do Conselho da Europa. Exige que a União Europeia pressione e monitorize a Turquia; Marisa Matia é uma das signatárias.
Apoiantes de Erdogan manifestam-se nas ruas. Foto de Tolga Bozoglu/EPA/Lusa.

A carta é destinada a Federica Mogherini, Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança e vice Presidente da Comissão Europeia, e a Thorbjørn Jagland, Secretário Geral do Conselho da Europa. Foi assinada por intelectuais e académicos, entre os quais Michael Hardt, David Harvey, Judith Butler, Sandro Mezzadra ou Yanis Varoufakis e também por eurodeputados, como Marisa Matias.

"Condenamos qualquer tentativa de derrubar a ordem democrática por golpes militares. Ao mesmo tempo, condenamos a purga levada a cabo pelo governo turco violando os direitos humanos e a lei", começam por expicar no documento, que pode ser lido na íntegra em baixo (em inglês). 

"Pedimos que monitorizem de perto a situação na Turquia, em relação ao respeito pelos direitos humanos da lei, pedimos a libertação imediata de todos os que foram arbitrariamente presos na sequência do golpe militar falhado. Lembramos a lei recentemente adotada no parlamento turco sobre a retirada de imunidade para a acusação de vários deputados, pertencendo principalmente ao partido de oposição HDP. Tudo parece indicar que o golpe representa uma oportunidade para o governo turco restringir ainda mais o papel da oposição", continua a carta.

"Pedimos à vice Presidente Mogherini que escrutine a situação, dando particular atenção à condição da minoria curda e de outras minorias no país. Urgimos o Secretário Geral Thorbjørn Jagland que lembre ao governo turco que tem a obrigação de respeitar a Convenção Europeia dos Direitos Humanos e todos os seus protocolos, incluindo o direito à vida, a julgamentos justos, a proteção contra detenções arbitrárias", prosseguem.

"Também urgimos à vice Presidente Mogherini que exija À Comissão Europeia a retirada imediata do acordo entre a União Europeia e a Turquia. Desde a assinatura do acordo, a Turquia não tem sido um "país seguro" para os refugiados e requerentes de asilo". Concluem, pedindo a todos os Estados membros que "pressionem o governo turco para repor completamente a lei e os princípios democráticos no país como condição básica para relações diplomáticas futuras e a continuação das negociações de entrada naa União Europeia".

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)