You are here

Turismo aumenta custo de vida em Portugal

Portugal é o segundo país da Europa em que o preço das casas mais cresceu entre 2013 e 2018. O ritmo médio de crescimento foi de 32% acima do rendimento de uma família média, composta por dois adultos e dois filhos a cargo.
Fotografia: www.ccilb.pt
Fotografia: www.ccilb.pt

Os habitantes das grandes cidades sofreram um impacto significativo no custo de vida em consequência do boom turístico que se tem vindo a sentir. Com efeito, entre 2013 e 2018, o preço das casas cresceu até se tornar muitas vezes insustentável. Na União Europeia, só a Irlanda teve valores piores, com uma alarmante taxa de 60%.

Em termos de hotelaria e restauração, Portugal continua a ser um destino turístico economicamente acessível para massas. Em declarações ao Jornal de Notícias, Tiago Borges, especialista da consultora Mercer, afirmou que “Portugal ainda é um destino barato, sendo os preços de itens sensíveis para o turismo relativamente acessíveis em comparação com outros destinos europeus - hotéis e restaurantes, em particular”.

João Loureiro, professor da Faculdade de Economia do Porto, afirmou ao mesmo jornal que “os ordenados não têm acompanhado o custo de vida”, estando a capacidade aquisitiva inferior ao que estava há uns anos.

Por sua vez, o turismo está a fazer com que o custo de vida aumente. Desde 2015, o preço da habitação não parou de subir em Portugal. Em junho de 2018, o Banco de Portugal começou a alertar para o risco de sobrevalorização do mercado imobiliário, principalmente devido ao investimento estrangeiro. O governo PSD/CDS atraíra esse investimento, tenha sido através da atribuição de vistos gold ou de taxas reduzidas para alojamento local.

Em Setembro de 2018, o Bloco já defendia a necessidade de uma medida que combatesse a especulação imobiliária, encontrando uma penalização fiscal para as transmissões de propriedade que ocorressem num curto espaço de tempo com uma mais-valia injustificável.

Termos relacionados Sociedade
(...)