You are here

Trump não assegura transição pacífica caso perca eleições

Presidente dos EUA volta a defender que os votos por correspondência, essenciais em tempo de pandemia, são “um desastre” e conduzirão a fraude nas eleições de 3 de novembro.
Donald Trump. Foto de Gage Skidmore, Flickr.

“Bom, teremos de ver o que acontece. Sabem que me tenho queixado veementemente dos boletins de voto. E os boletins de voto são um desastre”, afirmou Trump durante uma curta conferência de imprensa na Casa Branca. “Livrem-se dos boletins e terão [uma transição] muito pacífica… francamente, não haverá uma transição. Haverá uma continuação. Os boletins estão fora de controlo”, enfatizou o presidente norte-americano, citado pela CNN.

Esta não foi a primeira vez que Trump ameaçou não assegurar uma transição pacífica de poder caso perca as eleições. “Não. Tenho de ver. Não, não vou dizer ‘sim’. Não vou dizer ‘não’. Também não o disse da última vez [nas eleições de 2016]”, referiu Donald Trump numa entrevista à Fox News.

A “mais recente demonstração do desespero e da tirania mesquinha”

Em declarações ao jornal Expresso, o sociólogo DaShanne Stokes defendeu que esta é a “mais recente demonstração do desespero e da tirania mesquinha que têm caracterizado a presidência ilegítima de Trump desde o início”.

“Não é uma surpresa que um Presidente criminoso, que regularmente abusa do poder e viola leis americanas, tente, uma vez mais, manter-se no poder através de meios imorais, antiéticos, ilegais e antiamericanos”, continuou. DaShanne Stokes lembrou que, “afinal, este é um homem que ajudou os nossos inimigos e solicitou atos de guerra contra a América em benefício próprio e para enriquecer. Essa é a definição exata de traição”.

“A sua continuação no cargo significa, para a América e para o mundo, a libertação de um tirano hediondo cuja incompetência, mentiras, crimes e abusos de poder já custaram à América dezenas de milhares de vidas”, enfatizou.

Sanders: Donald Trump não vai destruir a democracia

“Eu compreendo que Donald Trump nasceu no seio de uma família muito rica e, desde a infância, conseguiu sempre o que queria. Mas quero deixar bem claro para Donald Trump: Demasiadas pessoas lutaram e morreram para defender a democracia americana. Não vai destrui-la”, escreveu Bernie Sanders na sua conta de Twitter, reagindo às ameaças do presidente norte-americano.

 

Termos relacionados Internacional
(...)